Início » Internacional » O drama do casamento infantil em Bangladesh
NOIVAS CRIANÇAS

O drama do casamento infantil em Bangladesh

Fatores como pobreza, tradição, abuso sexual de meninas solteiras e acesso limitado aos estudos convencem pais de que eles estão fazendo o melhor para suas filhas

O drama do casamento infantil em Bangladesh
Joyce documentou o casamento entre a menina e seu noivo, Hasamur Rahman, de 32 anos (Foto: Instagram/@allisonsarahjoyce)

A fotógrafa Allison Joyce relatou no Instagram que a jovem Nasoin Akhter foi “a noiva mais triste que ela já viu”. Joyce documentou o casamento entre a menina e seu noivo, Hasamur Rahman, de 32 anos, na semana passada em Manikganj, Bangladesh.

Leia mais: Campanhas contra o casamento infantil na África

Apesar de o casamento de Nasoin Akhter ser tecnicamente ilegal em Bangladesh, as leis contra o casamento de crianças são raramente executadas. E apesar das promessas do governo e de organizações considerarem isso como uma violação dos direitos humanos, a prática continua popular em Bangladesh.

De acordo com um relatório publicado em junho pela organização Humans Rights Watch, o país tem a quarta maior taxa do mundo de casamento infantil. Em Bangladesh, 29% das meninas casam antes dos 15 anos e 65% antes dos 18.

“O casamento de crianças ao redor do mundo está relacionado com muitas consequências prejudiciais, incluindo perigos de saúde associados com a gravidez precoce, o menor grau de escolaridade para as meninas que se casam mais cedo, uma maior incidência de violência conjugal, e um aumento da probabilidade da pobreza”, afirma o relatório.

Fatores como pobreza, tradição, abuso sexual de meninas solteiras e acesso limitado aos estudos convencem pais de que eles estão fazendo o melhor para suas filhas, de acordo com o relatório.

A família de Akhter, por sua vez, não era pobre. Fato que surpreendeu a fotógrafa. Mas não é só o desespero da pobreza ou a pressão social que leva uma criança a se casar. O casamento precoce é considerado uma forma de proteção contra o abuso sexual ou até mesmo da menina ser sexualmente ativa sem ter um marido.

Apesar de Bangladesh ter reduzido seus níveis de pobreza e estar melhorando no quesito direitos das mulheres, ainda é uma luta enfrentar este tipo de casamento, segundo o relatório. O governo propôs um plano para enfrentar esta questão que aumentou a sensibilização do problema, só que uma de suas estratégias é diminuir a idade legal do casamento de 18 para 16 anos.

Fontes:
The Washington Post-The ‘saddest bride I have ever seen': Child marriage is as popular as ever in Bangladesh

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *