Início » Vida » Comportamento » O futuro sombrio dos tablóides
Sensacionalismo e internet

O futuro sombrio dos tablóides

Como a tecnologia e a internet afetaram o negócio de notícias de celebridades e os paparazzi

O futuro sombrio dos tablóides
Kate Middleton é recebida nas Ilhas de Salomão por um mulher com os seios à mostra (Reprodução/Corbis)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Quando o Duque e a Duquesa de Cambridge foram recebidos em sua viagem às Ilhas Salomão, no Pacífico, muitos seios estavam à mostra. Contudo, nenhum deles chamou tanta  atenção quanto os que foram fotografados e publicados na revista francesa Closer em setembro, 14.

A foto mostrava Kate Middleton fazendo topless enquanto tomava banho de sol com o Príncipe William em uma propriedade particular no sul da França. O casal entrou com um processo legal contra a revista para retirar a edição de circulação, o que foi rapidamente atendido.  Porém, a medida não foi muito eficaz, já que as fotos da duquesa ganharam o mundo através da internet.

Mas, além do constrangimento da família real, o episódio também mostra que o mundo das notícias de celebridades e os paparazzi agora tem concorrência, e muito forte. Qualquer um  munido com lentes de última geração é capaz de tirar fotos a quilômetros de distância, como no caso de Kate Middleton. Celulares com câmera tornaram possíveis fotos como as que foram divulgadas em agosto passado, onde Príncipe Harry aparece nu. Além disso, a tecnologia faz com que as fotos cheguem rapidamente às mãos dos clientes.

Com tantos “fotótgrafos” distribuindo fotos gratuitamente na internet, o valor das fotos de celebridades vendidas pelos paparazzis caiu vertiginosamente. “A internet arruinou o negócio de todo mundo”, disse Jack Ludlam, paparazzi que saiu de Londres para tentar a vida em Madri.

A internet também afetou os chefes dos paparazzi: os tablóides. Para se ter ideia, em dez anos o número de edições vendidas do Sun, maior tablóide inglês, caiu de 3,7 milhões paras 2,5 milhões.

Outros problemas enfrentados pelos tablóides são a regulamentação e a pressão pública. A revelação de que o News of the World havia grampeado telefones sem autorização judicial no ano passado diminuiu a afeição do público pelos tablóides. Desde então os tablóides assumiram um comportamento mais politicamente correto, porém, menos lucrativo.  Tempos difíceis estão chegando.

Fontes:
The Economist-Breast behaviour

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *