Início » Internacional » O genocídio na Armênia
Turcos x Armênios

O genocídio na Armênia

Em 24 de abril de 1915 dezenas de intelectuais e artistas armênios foram presos em Istambul, capital do Império Otomano em decadência, e assassinados

O genocídio na Armênia
O espírito curioso e rebelde da ex-jornalista do New York Times levou-a a tirar suas conclusões a respeito dos antigos dogmas do nacionalismo histórico (Reprodução/Internet0

Atualmente, as comemorações de fatos importantes fazem parte de nosso cotidiano, em especial no ano passado, quando o mundo relembrou os cem anos do início da Primeira Guerra Mundial. Pelo menos dois fatos históricos marcarão o ano de  2015. Um deles é a batalha de Waterloo, que em 18 de junho será comemorada com um desfile triunfal (pelo menos no Reino Unido). Em outros lugares, o centenário do genocídio armênio suscitará raiva, assim como recriminação.

Em 24 de abril de 1915 dezenas de intelectuais e artistas armênios foram presos em Istambul, capital do Império Otomano em decadência, e assassinados. As mortes marcaram o início de um longo período de perseguição aos súditos cristãos do império, que foram condenados à morte, violentados e deportados em massa para o deserto da Síria. Pelo menos 1 milhão de pessoas, na maioria armênios, morreram.

Em seu primeiro livro, There Was and There Was Not, Meline Toumani, uma jornalista americana de origem armênia, que cresceu no subúrbio de New Jersey, descreve as duas semanas que passava todos os anos em um acampamento de verão armênio em Massachusetts, onde ela e seus colegas de colégio eram doutrinados a não esquecer o que acontecera com os armênios. Toumani faz um relato instigante do ódio que lhe foi incutido em relação aos turcos. Mas o espírito curioso e rebelde da ex-jornalista do New York Times levou-a a tirar suas conclusões a respeito dos antigos dogmas do nacionalismo histórico.

 

 

Fontes:
The Economist-Seeing through fire

1 Opinião

  1. jayme endebo disse:

    Foi o vestibular do holocausto judaico 30 anos depois na Segunda guerra já que ninguém levantou a voz ou condenou, os nazistas seguiram em frente.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *