Início » Vida » Ciência » O lado problemático da energia solar
Luz do sol e nuvens

O lado problemático da energia solar

O uso crescente da energia renovável exige novas formas de administrar a distribuição de energia elétrica

O lado problemático da energia solar
A passagem da Lua entre a Terra e o Sol poderia ser equivalente à perda de 80 centrais de energia elétrica de médio porte na Europa (Foto: Wikimedia)

No início deste ano, depois de meses de planejamento, os administradores da rede de eletricidade da Europa estavam prontos para enfrentar o maior teste de um sistema de energia, que utiliza cada vez mais a energia renovável. Esse teste foi um eclipse parcial do Sol em 20 de março no “pior cenário possível” de um dia ensolarado, com a súbita interrupção da energia solar, o que criaria flutuações que poderiam danificar a rede e tudo que estivesse conectado a ela.

A Alemanha, que possui algumas das maiores usinas de energia solar do mundo, concentrou as preocupações dos operadores da rede. Em 2014, quase 7% da energia elétrica da Alemanha era produzida por painéis solares, mas em dias ensolarados a proporção aumentava para 35% e até mesmo para 50% nos fins de semana. A passagem da Lua entre a Terra e o Sol poderia ser equivalente à perda de 80 centrais de energia elétrica de médio porte na Europa.

Mas embora a luz do sol tenha brilhado no sul da Alemanha e no norte da Itália, o céu nublado em outros lugares reduziu o impacto do eclipse. Mesmo assim, os administradores da rede europeia de energia elétrica tiveram de aumentar muito as fontes de reserva disponíveis e de desligar alguns setores de produção com uso intensivo de energia, como a fundição de alumínio. E, em seguida, enfrentaram o aumento da geração de energia solar depois do eclipse.

Alguns países adotaram medidas restritivas à criação de novas usinas de energia solar. No Havaí as oscilações bruscas de transmissão de energia elétrica diminuíram a concessão de construções de novas usinas de energia solar. A Austrália também impôs limites à construção de novas usinas.

Apesar do tempo quase sempre nublado, algumas empresas do setor público de geração, comercialização e distribuição de energia elétrica da Grã-Bretanha limitaram a quantidade de energia solar transmitida à rede. Em vez de serem apenas fornecedoras de energia elétrica, as redes do futuro terão de ser mais criativas e flexíveis para administrar a distribuição de energia produzida pela energia renovável.

Fontes:
The Economist - Sunshine and clouds

1 Opinião

  1. Elieser Souza disse:

    Senhores,
    A Energia Solar não possui lado problemático. O problema é o conhecimento do assunto por parte de quem escreveu o artigo ou seu interesse nos segmentos da indústria de geração/distribuição de energia.
    Todos nós especialista em Energia Solar sabemos que:
    – A Energia Solar é uma energia intermitente
    – A Energia Solar é uma energia complementar
    Portanto, os projetos de geração de Energia Solar devem atender, como qualquer projeto de engenharia, todos os riscos e adversidades envolvidos inclusive os riscos ambientais que porventura possam existir.
    Infelizmente a humanidade cada dia mais está refém dos interesses econômicos que nos levam a insustentabilidade e a grandes desastres ecológicos.
    Eng Elieser Souza

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *