Início » Internacional » O polêmico caso do bebê Charlie Gard
LUTA DE CHARLIE

O polêmico caso do bebê Charlie Gard

Justiça britânica quer desligar os aparelhos, que mantêm bebê vivo, contra a vontade dos pais

O polêmico caso do bebê Charlie Gard
Connie Yates e Chris Gard com o pequeno Charlie (Foto: Charlie's Fight)

O destino do bebê Charlie Gard está nas mãos da Suprema Corte britânica, que nesta segunda-feira, 10, vai reavaliar novos elementos para o tratamento experimental a que os pais querem submeter o bebê. Chalie Gard, de 11 meses, é filho de Connie Yates e Chris Gard. O bebê tem uma doença rara grave, com poucos casos no mundo, chamada de Síndrome de Deleção Mitocondrial. O pequeno Charlie não se move, não ouve, não enxerga bem, nem se alimenta sozinho. Seu cérebro, músculos, fígado e rins também estão comprometidos.

O hospital britânico Great Ormond Street, onde Charlie está internado, considerou que a melhor opção seria desligar os aparelhos que mantém o bebê vivo, pois consideram não haver chance de reverter a quadro clínico do bebê. Os pais do pequeno, no entanto, querem tentar um tratamento experimental nos Estados Unidos, mas até agora não conseguiram a permissão para fazer isso. O tratamento nunca foi testado em um caso tão grave quanto o do pequeno Charlie. A possibilidade de levar Charlie para morrer em casa também foi negada aos pais. Como o casal não está de acordo com o hospital, o caso foi levado à Justiça. Em abril, um tribunal se pronunciou a favor do desligamento dos aparelhos. O Tribunal Europeu de Direitos Humanos também concordou com a medida. A decisão se deu porque os tribunais consideraram errado submeter Charlie a um tratamento invasivo, doloroso e com chance de sucesso próxima de zero.

A batalha dos pais de ter o direito de escolher o que é melhor para seu próprio filho ganhou o mundo e fez até com que o Papa Francisco e o presidente americano Donald Trump se posicionassem e oferecessem ajuda para o tratamento de Charlie. Os pais levantaram mais de 1,3 milhão de libras para viajar com o filho para conseguir o tratamento experimental. Além disso, mais de 375 mil pessoas assinaram uma petição, pedindo que o hospital siga os desejos dos pais de Charlie.

O hospital britânico emitiu um comunicado na última sexta-feira,7, sobre o caso de Charlie.  “Dois hospitais internacionais e seus pesquisadores nos indicaram nas últimas 24 horas que havia novos elementos para o tratamento experimental que propuseram. Consideramos, assim como os pais de Charlie, que é justo explorar esses elementos”, dizia o informe. “Acreditamos que seja justo contar com a opinião da Suprema Corte sobre os supostos novos elementos”. A audiência está prevista para acontecer nesta segunda-feira, 10.

“Ele é nosso filho, ele é nossa carne e nosso sangue. Nós sentimos que esse deveria ser nosso direito de decidir dar a ele uma chance de viver. Não há nada a perder, ele merece essa chance. Há muita desinformação na mídia, mas basicamente nós não conseguiríamos sentar e assistir nosso filho sofrer. Nós não somos assim. Nós não estamos fazendo isso por nós. Ele é nosso filho. Nós queremos o que é melhor para ele”, disse a mãe do menino.

Os congressistas americanos Brad Wenstrup e Trent Franks pretendem apresentar um projeto de lei para trazer Charlie e seus pais aos Estados Unidos. Numa declaração conjunta, eles disseram que querem fazer de Charlie um residente permanente dos Estados Unidos para que ele possa receber o tratamento no país.

Diferentemente da eutanásia, no caso de Charlie, os médicos não querem abreviar a vida do bebê, mas desligar seus aparelhos, fazendo com que ele morra de causas naturais, o que seria considerado ortotanásia. No entanto, é preciso autorização dos responsáveis para que os médicos façam isso. E esta é a grande polêmica do caso, o fato do hospital e dos médicos estarem desrespeitando a vontade dos pais do bebê. Vai caber a Justiça britânica decidir de quem é o direito de decidir pela vida de Charlie.

Fontes:
G1-Hospital britânico reavaliará caso de bebê doente após intervenções de Trump e papa
The Guardian-'There's nothing to lose': Charlie Gard's mother pleads for US treatment
BBC-Caso Charlie Gard: a polêmica sobre bebê britânico em estado terminal que envolveu Trump e o papa

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *