Início » Internacional » O que esperar da transição política na China
18º Congresso do PCC

O que esperar da transição política na China

Troca de comando no alto escalão do Partido Comunista ocorre em momento de incertezas e turbulência popular

O que esperar da transição política na China
Em discurso pouco ortodoxo, presidente chinês Hu Jintao alertou para as ameaças que a corrupção representa ao partido (Reprodução/Internet)

Terminada a eleição nos EUA, é hora de voltar as atenções para a próxima troca de comando mais importante em anos: o 18 º Congresso do Partido Comunista Chinês. Dezessete congressos se passaram e quase ninguém prestou muita atenção, incluindo a maioria dos chineses, mas desta vez as circunstâncias são um pouco diferente.

Leia também: O que o próximo premier chinês e a indústria do tabaco têm em comum
Leia também: As famílias que mandam na China

Além da pompa habitual e dos elogios efusivos e previsíveis aos feitos do PCC desde a época de Mao, há também grandes intrigas assombrando este congresso. Para começar, considere os personagens da trama. Será que o premier Wen Jiabao, acusado de enriquecimento ilícito durante a sua gestão, vai inesperadamente desviar do roteiro para negar que a fortuna adquirida por sua família nos últimos anos seja fruto da corrupção? Quantas vezes ouviremos o presidente Hu Jintao pronunciar as palavras “desenvolvimento científico” e “sociedade harmoniosa” em referência ao país em seu discurso? Especulações à parte, a pergunta mais importante é: o que estará em jogo para o futuro político e econômico da China?

Em uma reação ao crescente descontentamento popular diante de relatos de abusos de poder pela elite chinesa, manifestado principalmente em blogs e redes sociais do país, Hu Jintao começou seu discursou de abertura nesta quinta-feira, 8, alertando a população para a urgência de o Partido Comunista enfrentar a corrupção em suas próprias fileiras.

“Se fracassarmos em lidar com o assunto bem, isso pode ser fatal para o partido”, afirmou Hu. “Todo o partido precisa ter em mente a confiança que o povo colocou em nós e a grande expectativa que tem em nós.”

Líderes chineses raramente mencionam o risco de a corrupção ameaçar o partido em linguagem tão direta e em um evento tão importante para o país. O discurso foi transmitido em cadeia nacional pela televisão estatal e parece ter tido como objetivo aplacar os ânimos da população.

O chamado “socialismo com características chinesas” é a bandeira do progresso contemporâneo da China e também a bandeira sob a qual o Partido Comunista sempre operou. Mas as ambições da China de se tornar uma potência global moderna permanecem atreladas a um sistema político sigiloso em que o verdadeiro poder reside em recessos sombrios. Isso pode trazer problemas para o sucessor presumido de Hu, Xi Jianping, seu atual vice-presidente, que ainda tem de estabelecer suas próprias credenciais como autoridade máxima do partido.

Quando o congresso terminar na próxima semana, haverá 20 membros aposentados da comissão permanente do partido, a maioria dos quais espera manter alguma voz no comando do país e na nomeação de aliados. A apresentação oficial dos novos líderes da China só acontece no último dia do evento.

 

Fontes:
The Atlantic - China´s leadership transition: what to look for
Valor - Partido Comunista da China troca comando e presidente ataca corrupção

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *