Início » Vida » Comportamento » O que poderia ajudar mulheres grávidas a parar de fumar?
Tabagismo

O que poderia ajudar mulheres grávidas a parar de fumar?

Segundo pesquisas recentes, 18% de mulheres grávidas francesas fumam durante a gravidez e é possível que o número seja ainda mais elevado

O que poderia ajudar mulheres grávidas a parar de fumar?
Problemas mentais, pobreza e abuso doméstico dificultam o abandono do hábito de fumar (Reprodução/Internet)

Em breve os maços de cigarros na França vão ter uma logo advertindo as mulheres grávidas sobre os perigos do tabagismo. Essa medida foi adotada em razão de pesquisas recentes, segundo as quais 18% de mulheres grávidas francesas fumam durante a gravidez, um percentual maior do que em muitos outros países desenvolvidos, onde um número cada vez menor de mulheres fuma. É possível que o número seja ainda mais elevado; exames de sangue indicaram que as fumantes grávidas mentem sobre seu hábito de fumar, sendo que em estudos realizados na Escócia um quarto das fumantes esconde o vício.

Muitas mulheres fumantes param de fumar assim que sabem que estão grávidas. Mas é difícil convencer outras mulheres a seguirem esse exemplo. Em geral, os médicos expõem os perigos do fumo na gravidez na primeira consulta do pré-natal, incentivam as fumantes grávidas a procurarem ajuda e as aconselham a parar de fumar. Alguns países oferecem adesivos de nicotina sem nenhum custo às mulheres grávidas. Quanto maior for o número de medidas adotadas para ajudá-las, maior será a probabilidade de sucesso. Porém mesmo os melhores programas de apoio a fumantes só conseguem que uma parcela mínima desista do hábito.

Problemas mentais, pobreza e abuso doméstico dificultam o abandono do hábito de fumar. Um aconselhamento médico insatisfatório também não estimula a quebrar esse hábito. Algumas mulheres ainda acreditam, apesar das informações sobre os perigos do tabagismo na gravidez, que o fumo não prejudica a saúde do bebê. Haviam fumado em uma gravidez anterior e, por isso, afirmam que se o filho mais velho tem uma boa saúde, o mais novo também terá.

Fontes:
Economist-Huffing and puffing

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *