Início » Vida » Comportamento » O sem teto, o policial e as botas doadas: uma história de Natal às avessas
O triste fim de uma história de caridade

O sem teto, o policial e as botas doadas: uma história de Natal às avessas

Exposição da foto onde um policial de Nova York aparece doando botas a um mendigo provoca distorção dos fatos

O sem teto, o policial e as botas doadas: uma história de Natal às avessas
A foto que se tornou febre na internet, mostra o policial DePrimo doando as botas a Hillman (Reprodução/Reuters)

Foi uma história de compaixão e bondade nas frias ruas de Nova York. Na terça-feira, 27, após conversar com um mendigo descalço, o policial Lawrence DePrimo decidiu ir até uma loja da região e presentear o sem-teto com um novo par de botas. Fotografada por uma turista, a ação rapidamente se espalhou pela internet, superando 1,6 milhões de visualizações.

A caridade fez com que DePrimo fosse homenageado em programas de televisão. Em um deles, o policial contou que, simplesmente, decidiu entrar em uma loja, comprar um par de botas e ajudar o sem-teto a calçá-las. Porém, quando repórteres foram em busca do sem-teto, encontraram-no vagando novamente descalço pela parte oeste da cidade. Não havia sinal de suas novas botas.

O mendigo se chama Jeffrey Hillman, um ex-militar que trabalhou como cozinheiro antes de morar nas ruas. Hillman contou ao Times que havia guardado suas novas botas por medo de ser roubado ou morto por elas. O mendigo também disse querer parte do lucro pela exposição de sua imagem.

A história é uma lição da complexidade que existe por trás de uma imagem. De um simples sem teto em Nova York, Hillman se tornou uma celebridade e teve sua vida vasculhada de forma cruel. O New York Daily News disse ter encontrado provas de que Hillman não é realmente um sem-teto, citando fontes que dizem que o mendigo é dono de um apartamento no Bronx pago pelo seguro de assistência a veteranos. Segundo o jornal, Hillman é um mendigo por opção.

A bonita história de caridade acabou por ganhar uma versão mais perversa. Hillman deixou de ser o sem-teto necessitado para se tornar um homem problemático que faz escolhas erradas e dispensa ajuda. A foto que iniciou uma onda de apoio à caridade agora se tornou uma lição de como não se deve ter pena de sem-tetos. A reviravolta mostra a estupidez humana que distorce os fatos diante da exposição excessiva. Hilmann está certo em quer saber o que ele ganhará com tudo isso.

Fontes:
The Guardian-The homeless man and the NYPD cop's boots: how a warm tale turns cold

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

3 Opiniões

  1. André Luiz Duarte de Queiroz disse:

    É por isso que em muitas tradições religiosas exorta-se a que se faça a caridade com discrição, exercendo a ‘Virtude Oculta’ : “…quando dás a esmola, não saiba a tua esquerda o que faz a tua direita; para que a tua esmola fique escondida, e teu Pai, que vê o que fazes em segredo, te pagará.” (Mateus, VI: 1-4) Creio que a intenção foi policial foi sincera, mas, no que seu foi dada uma publicidade indevida a seu gesto, não faltou quem explorasse o fato conforme seus próprios interesses. Lamentável…

  2. Affonso Rique disse:

    Bote pra lascar, Hilmann. Tô contigo e não abro.

  3. Roseli dos Santos disse:

    eu conheci um “MENDIGO” que tinha familia e os filhos sempre procuravam o pai ,levavam ele pra casa faziam a barba cortavam os cabelos davam roupas e sapatos pra ele. Ele fugia e voltava pra rua. Era o que ele queria e não se importava com o conforto que os filhos davam. Aprendi com o Jorge (esse é o nome dele) que aquele que esta “sofrendo” não é nenhum pobrezinho , pergunte pra eles se não é OPÇÃO de vida pra eles…….

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *