Início » Cultura » O triunfo olímpico das mulheres da Arábia Saudita
Cultura x Esporte

O triunfo olímpico das mulheres da Arábia Saudita

Pela primeira vez na história, todas as 204 delegações olímpicas enviaram atletas mulheres aos Jogos

O triunfo olímpico das mulheres da Arábia Saudita
Wojdan Ali Seraj Abdulrahim Shahrkhani participa da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Londres (Reprodução/Internet)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Na Arábia Saudita, as Olimpíadas geralmente não recebem muita atenção. O único esporte pelo qual os sauditas são assumidamente apaixonados é o futebol. Só a Copa do Mundo faz os torcedores se sentarem frente à TV e prestarem atenção. A mídia local costuma dar às Olimpíadas uma cobertura mínima.

Mas isso pode estar prestes a mudar. Os sauditas não pareciam se importar com as Olimpíadas até este ano, quando no último minuto e depois de muita resistência, o Comitê Olímpico da Arábia cedeu e permitiu que mulheres sauditas se juntassem à delegação do país. O comitê havia resistido por motivos religiosos e também porque não é uma tarefa fácil encontrar atletas mulheres no país.

A única maneira através da qual as sauditas podem ter acesso às instalações desportivas é frequentando institutos e clubes privados e extremamente caros – e mesmo essas organizações de elite são criticadas e recebem a desaprovação governamental quando a mídia cobre suas atividades. Ao anunciar que duas mulheres iriam à Olimpíada de Londres, muitos criticaram o ministro dos Esportes, Nawaf al-Faisal, por permitir tal façanha. Após a permissão, outra questão passou a ser abordada: a exigência do país de que as atletas cumpram durante os jogos as rigorosas tradições islâmicas, que no caso das mulheres requer cobrir a cabeça em lugares públicos.

Foi então que nesta terça-feira, 31, as atletas sauditas tiveram sua segunda vitória. O Comitê Olímpico Internacional (COI) afirmou que será permitido que a atleta de judô Wodjan Ali Seraj Abdulrahim Shahrkhani use um lenço na cabeça durante a competição. De acordo com o COI, a permissão aconteceu após um acordo entre os organizadores do esporte e as autoridades olímpicas da Arábia Saudita.

Organizadores do judô haviam manifestado preocupação com o lenço na cabeça por representar um risco à segurança da atleta, já que chaves-de-braço são comuns no esporte. Emmanuelle Moreau, porta-voz do comitê olímpico, disse  nesta terça que um acordo havia sido alcançado no dia anterior e que Shahrkhani usará um lenço adaptado,  comumente usado em competições na Ásia.

A Federação Internacional de Judô, o organismo mundial responsável pela modalidade, também participou das negociações. “A solução acordada garante um bom equilíbrio entre segurança e aspectos culturais”, diz um comunicado divulgado pela federação.

Graças às organizações de direitos humanos, ao COI e à bravura das duas atletas sauditas, foi a primeira vez na história que todos os 204 países participantes nos Jogos Olímpicos enviaram delegações com integrantes mulheres.

Fontes:
New York Times - Saudi Athlete Can Compete in Judo With Head Covering

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *