Início » Internacional » Obama rejeita pressão de governadores contra refugiados sírios
POLÍTICA DE ACOLHIMENTO

Obama rejeita pressão de governadores contra refugiados sírios

Após ataques em Paris, 31 dos 50 governadores dos EUA disseram que vão recusar refugiados sírios. Porém, Obama pretende manter planos de receber 10 mil refugiados até ano que vem

Em meados deste ano, o governo americano anunciou que pretendia acolher 10 mil refugiados sírios ainda no atual ano fiscal, iniciado em outubro. No entanto, depois dos ataques em Paris, em 13 de novembro, 31 dos 50 governadores americanos afirmaram que não vão permitir o reassentamento de refugiados nos estados que governam. Apesar da pressão destes governadores, o governo Obama reafirmou que vai manter os planos para acolher 10 mil refugiados sírios até o ano que vem.

Resistência aos refugiados

A resistência cresceu depois da notícia de que um dos terroristas entrou na Europa com um grupo de refugiados.

Os governadores que se posicionaram contra o plano são do partido de oposição, com exceção de New Hampshire. O anúncio foi criticado por entidades em defesa dos Direitos Humanos. “Os anúncios dos governadores são uma tentativa de espalhar o pânico para impedir que os sírios se unam aos grupos religiosos e às comunidades que se dispuseram a recebê-los”, afirmou Alison Parker, da entidade Human Rights Watch.

O presidente Barack Obama também se manifestou contra a posição dos governadores. “As pessoas que estão fugindo da Síria são as mais prejudicadas pelo terrorismo”, disse Obama na Turquia na última segunda-feira, 16. “Eles são pais, eles são crianças, eles são órfãos”.

Apesar dos Estados Unidos já terem recebido 2,1 mil refugiados sírios desde 2012, apenas 2% deste montante, de acordo com dados da administração federal, eram de homens jovens, que costuma ser o perfil dos combatentes do Estado Islâmico.

Plano mantido

Segundo Mark Toner, o porta-voz do Departamento de Estado, o programa será mantido. Ele afirmou que os refugiados passam por um amplo e detalhado controle antes de chegar aos Estados Unidos. Além disso, ele ressaltou que a “triagem” para a migração será feita por várias agências americanas, incluindo o Centro Nacional Antiterrorismo, a Agência de Inteligência e o Departamento de Segurança Interna.

O pré-candidato republicano, Donald Trump, por sua vez, disse, em um comício na última segunda-feira, que vai expulsar os refugiados sírios do país, caso seja eleito presidente.

 

 

Fontes:
Estado de S.Paulo-Após ataques em Paris, 31 estados americanos rejeitam receber refugiados sírios
Agência Brasil-Estados Unidos mantêm plano de receber imigrantes sírios após atentado na França

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *