Início » Internacional » Ofensiva turca contra curdos já deslocou 15 mil pessoas
SÍRIA

Ofensiva turca contra curdos já deslocou 15 mil pessoas

Mais de 15 mil pessoas já deixaram a cidade curda de Afrin, na Síria, desde o início da ofensiva contra curdos na região

Ofensiva turca contra curdos já deslocou 15 mil pessoas
A Turquia iniciou a ofensiva contra Afrin em 19 de janeiro (Foto: AFP)

A ofensiva da Turquia contra a cidade curda de Afrin, no noroeste da Síria, já causou o deslocamento de pelo menos 15 mil pessoas. A informação foi dada na última quinta-feira, 1, pelo conselheiro para assuntos humanitários da Organização das Nações Unidas (ONU), Jan Egeland.

Estima-se que o número de deslocados pode aumentar à medida que a ofensiva avança. O Crescente Vermelho, ramificação da Cruz Vermelha que atua em países muçulmanos, se prepara para dar abrigo e ajuda humanitária a 50 mil refugiados, em cinco campos de refugiados localizados em regiões próximas a Afrin.

A Turquia iniciou a ofensiva contra Afrin em 19 de janeiro. A meta da ofensiva é expulsar curdos de regiões na fronteira entre a Síria e a Turquia, por temor de grupos curdos que lutam pela criação de um Curdistão, uma vez que os curdos representam o mais populoso povo do mundo sem um país. Eles vivem espalhados em territórios que abrangem a Síria, a Turquia, o Irã e o Iraque.

Desde 2012, Afrin é controlada pela milícia Unidade Curda de Proteção Popular (YPG). A YPG é considerada uma ameaça pela Turquia. Isso porque ela seria a “versão síria” do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PPK), organização armada que atua no sul da Turquia e no norte do Iraque (regiões habitadas predominantemente por curdos), e que desde sua fundação, em 1984, luta pela criação de um Curdistão independente.

A ofensiva turca ameaça abrir um novo capítulo na guerra da Síria. Tanto a Turquia quanto os curdos são aliados dos EUA no conflito sírio, tendo sido a YPG uma força crucial na retomada de cidades do país dominadas pelo Estado Islâmico. Em 24 de janeiro, o presidente dos EUA, Donald Trump, chegou a telefonar para o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, para tentar dissuadi-lo a desistir da ofensiva.

Além disso, a ofensiva abriu um novo front entre forças de Bashar al-Assad e rebeldes contrários ao seu governo, lados cujo o embate deram início à guerra na Síria. Enquanto o governo Assad defende o território curdo, rebeldes se aproximaram dos turcos.

 

Leia mais: Turquia intensifica ofensiva contra curdos na Síria

Fontes:
Estadão-Ofensiva turca na Síria faz 15 mil refugiados curdos

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *