Início » Internacional » OMS aponta violência contra mulher como epidemia global
vítimas da violência

OMS aponta violência contra mulher como epidemia global

Relatório divulgado pela organização mostra que problema é mais comum do que se imagina e atinge mulheres de todas as classes sociais

OMS aponta violência contra mulher como epidemia global
Na maioria das vezes, os próprios parceiros são os causadores da violência (Reprodução/Internet)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Um relatório divulgado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) na última quarta-feira, 19, revelou que mais de um terço da população mundial de mulheres são vítimas de violência física ou psicológica. Segundo a organização, trata-se de um problema de saúde de proporções epidêmicas.

De acordo com o documento, fraturas, hematomas, complicações no parto, depressão e outros distúrbios mentais são as consequências mais frequentes da violência que, na maioria das vezes, parte de maridos e namorados.

Charlotte Watts, especialista em Políticas de Saúde e coautora do relatório, diz que o problema é mais comum do que se imagina e não se restringe a uma camada social. “Essa é a realidade diária de muitas mulheres. Acontece com todas, não apenas com mulheres pobres ou de determinados países. É realmente uma questão mundial”, diz Charlotte.

O relatório revelou que quase 38% das mulheres vítimas de assassinato foram mortas por seus parceiros e 42% das mulheres vítimas de violência têm ferimentos e sequelas como consequência.

Segundo Claudia Garcia-Moreno, da OMS e também coautora do relatório, os recentes episódios envolvendo violência contra mulher na Índia e na África colocaram o problema em questão. “Os recentes episódios geram a conscientização do problema, o que é bom, mas devemos lembrar que diariamente centenas de casos iguais não chegam aos noticiários”, diz Claudia.

A OMS está criando formas de orientar profissionais de saúde a lidarem com a questão da violência doméstica e abuso sexual. “Os sistemas mundiais de saúde podem e devem fazer mais pelas mulheres vítimas da violência”, diz Margaret Chan, diretora-geral da organização.

Fontes:
Reuters-Violence against women causes 'global health epidemic' - WHO report

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. PENSADOR disse:

    VIOLÊNCIA PSICOLÓGICA INCLUÍDA? ASSIM, PODEMOS CERTAMENTE DIZER QUE QUASE 100% DOS HOMENS SOFREM VIOLÊNCIA PSICOLÓGICA PROVOCADOS POR SUAS PARCEIRAS-
    Nenhuma briga de casal ocorre sem antes ocorrer uma violência simbólica ou ofensa moral da mulher contra seu parceiro-
    O ditado popular já falava: QUANDO UM NÃO QUER, DOIS NÃO BRIGAM!!!!
    Imagine a cena: ganhando um salário-mínimo menor das Américas(isto mesmo, menor do que o Paraguay de R$800,00) morando longe, se vestindo mal, comendo mal,sem os dentes,viajando em ônibus superlotados, passando a maior parte da semana no alojamento para economizar vale-transporte, e voltar pra casa no final de semana-
    Passa no boteco e toma uma dose de pinga já que seu ganho não permite cerveja- Chega alegre em casa e a mulher, com razões econômicas pergunta: e o dinheiro? Trouxe só isto? Tava tomando cachaça com as vagabundas?
    êle responde: parei prá cumprimentar e tomei só umazinha com o Zé e o Tonho, mulher, pode conferir! Ao que ela responde: então tava bebendo com os vagabundos como você!!!
    DAÍ, COMEÇA UMA DISCUSSÃO QUE, MUITAS VEZES, TERMINA EM VIOLÊNCIA FÍSICA-
    DISTO, À DELEGACIA, AO HOSPITAL OU ATÉ MESMO O NECROTÉRIO
    O TRABALHADOR DE NOSSOS DIAS TALVEZ SEJA MAIS ESCRAVO DO QUE OS NEGROS DO BRASIL COLÔNIA!!
    Os escravos do Brasil colônia trabalhavam duro durante os seis meses da colheita da cana e durante cerca de um mês, na fase de capina- Durante outros meses, olhava a cana crescer e produzia somente por subsistencia- O ESCRAVO ROMANO TRABALHAVA CINCO HORAS POR DIA segundo Foustel de Coulanges em sua obra A Cidade Antiga, começando às 4 da manhã para aproveitar o sol fresco e terminando às onze hora da manhã- À tarde, iam com seus senhores curtir as Termas-
    NOSSOS ESCRAVOS MODERNOS TRABALHAM, NO MÍNIMO, OITO HORAS + QUATRO DOS TRANSPORTES ENTRE SUA CASA E TRABALHO-
    A jornada da mulher, em casa, também é dura, muitas vezes somada à jornada no seu emprego, constituindo assim, dupla jornada- Essas que trabalham fora, muitas vezes não tem tempo ou disposição para discussões já que está tão cansadas quanto êle e compreendem sua situação- Normalmente, as brigas domésticas são mais com as segundas que tem tempo de ficar assistindo os príncipes encantados nas novelas durante o dia e ao final deste, tem a decepção da chegada do feio SAPO, seu marido-
    Assim, este homem feio, desdentado, pobre, morando longe não tem, às vezes, nem direito a um carinho quando chega em casa- só reclamações e reclamações-
    Não tem direito à plano de saude, não tem direito a diversão, a não ser a cachacinha com os iguais a ele, não tem direito a uma casa digna, não tem direito à roupas de marca, vestuário, no mais das vezes o chinelo de dedos , a bermuda e a camisa listrada,

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *