Início » Internacional » ONU pede implementação imediata de cessar-fogo na Síria
SÍRIA

ONU pede implementação imediata de cessar-fogo na Síria

Apesar de a resolução ter sido tomada no final de semana, o país ainda enfrenta bombardeios

ONU pede implementação imediata de cessar-fogo na Síria
Bombardeio na cidade de Douma, na Síria (Foto: Observatório Sírio de Direitos Humanos)

Nesta segunda-feira, 26, o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, pediu a implementação imediata da trégua de 30 dias em toda a Síria, que foi decidida por unanimidade no último sábado, 24. No dia seguinte à votação, entretanto, a região de Ghouta Oriental voltou a sofrer bombardeios pelas forças governamentais sírias e aliadas.

“Enquanto saúdo a adoção por parte do Conselho de Segurança da resolução sobre a cessação de hostilidades em toda a Síria durante pelo menos 30 dias, também digo que as resoluções só fazem sentido se são efetivamente implementadas”, disse Guterres na abertura da 37ª sessão do Conselho de Direitos Humanos da ONU.

Como os russos rejeitaram a proposta original de 9 de fevereiro, um novo texto mais brando foi feito. No último domingo, 25, o Irã afirmou que aliados do regime sírio vão continuar atacando grupos terroristas no enclave insurgente de Ghouta Oriental. A Turquia também afirmou que vai prosseguir com suas operações contra grupos que considera terroristas na Síria, como a milícia curda YPG.

Segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos, pelo menos 25 civis morreram nesta segunda-feira, 26, por conta de um suposto bombardeio da coalizão internacional, liderada pelos Estados Unidos. Os aviões da coalizão tiveram como alvo a região de Dahra Aluni, um dos últimos redutos dos extremistas no país.

 

Fontes:
Agência Brasil-ONU pede implementação imediata da trégua de 30 dias na Síria
DW-Irã e Turquia dizem que combates na Síria vão continuar
Agência Brasil-Suposto bombardeio da coalizão internacional mata 25 civis na Síria

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *