Início » Internacional » Ordem mundial criada pelos EUA está em perigo
TRUMP E O MUNDO

Ordem mundial criada pelos EUA está em perigo

Em meio ao caos e as contradições dos primeiros meses do governo do presidente Donald Trump, o padrão de conduta que está se definindo é preocupante para os Estados Unidos e o mundo

Ordem mundial criada pelos EUA está em perigo
Trump deixa o mundo em suspense (Fonte: Reprodução/Reuters)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Donald Trump deixa o mundo em suspense com suas frases ambíguas ou contraditórias e a incerteza quanto aos rumos de sua política externa. Em recente visita à Europa, Trump não reafirmou o compromisso dos Estados Unidos com a Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), apesar da insistência de sua equipe em dizer que, na verdade, havia a intenção de dar continuidade ao apoio.

Em seguida, Trump anunciou a retirada dos EUA do Acordo de Paris, apesar dos conselhos prudentes de assessores da Casa Branca. Durante a campanha eleitoral, Trump disse que as mudanças climáticas eram uma “fraude” destinada a reduzir a oferta de empregos dos americanos. Assim, a saída do acordo agrada aos seus eleitores e à base política, ignorando as graves consequências do aquecimento global para o futuro da humanidade.

Na cúpula do G7 em Taormina, Trump cobrou dos países membros da OTAN, com os quais os Estados Unidos cooperaram na manutenção da ordem internacional nos últimos 70 anos, um aumento nos gastos militares para a defesa da Europa. No entanto, não reafirmou o comprometimento dos EUA com o artigo 5 do tratado da OTAN referente à defesa mútua em caso de um ataque externo à organização.

O Acordo de Paris e a OTAN representam o tipo de acordo multilateral que Trump acredita ser prejudicial aos EUA. Essa visão de Trump foi expressa de forma sucinta no início de junho por dois conselheiros da Casa Branca, H.R. McMaster e Gary Cohn, em um artigo publicado no Wall Street Journal, no qual disseram que “o mundo não é uma comunidade global, mas sim uma arena onde as nações, organizações não governamentais e empresas competem para obter vantagens”.

A Índia, China, Alemanha e outros líderes mundiais reagiram à decisão de Trump de retirar os EUA do Acordo de Paris reiterando o compromisso de cumprir todas as metas do pacto. A participação dos EUA não era muito importante em meio às iniciativas dos 195 países signatários do acordo. Mas a OTAN é bem mais vulnerável à perda de apoio dos americanos, em razão da contribuição financeira dos Estados Unidos ao seu orçamento.

Esse foi o legado da visita de Donald Trump à Europa marcada por divergências sobre política externa, mudança climática e relações comerciais. A política isolacionista de Trump revelada em sua participação na reunião da OTAN e na cúpula do G7 ameaça as relações transatlânticas, vitais para a ordem internacional que os EUA ajudaram a criar após a Segunda Guerra Mundial.

Fontes:
The Economist - Donald Trump and the world: The world order America created is in peril

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. laercio disse:

    O mundo vive constante mudança. Não devemos ficar a espera do resultado de tais posturas! Agora, provavelmente a Europa e a China serão o leme do mundo! Na história impérios vem e vão…
    O importante é não ficar a deriva e indo para onde o vento levar, o que está ocorrendo no Brasil.
    Devemos adotar uma nova postura de reaproveitamento geral compulsório para fortalecer o atual é vulnerável endereço na nação.

  2. J Rodrigues disse:

    Parabéns Laercio.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *