Início » Internacional » Organizações sem fins lucrativos estão na mira do governo húngaro
Hungria

Organizações sem fins lucrativos estão na mira do governo húngaro

Funcionários do governo defendem o trabalho das autoridades húngaras

Organizações sem fins lucrativos estão na mira do governo húngaro
O primeiro-ministro Viktor Orban está construindo o que chama de 'democracia iliberal' que mistura ideais nacionalistas e populistas (Reprodução/Voxeurop)

Na Hungria, o primeiro-ministro Viktor Orban está construindo o que chama de “democracia iliberal”, que mistura ideais nacionalistas e populistas. Citando a Rússia e a China como modelos, ele está anunciando os benefícios de um Estado forte e, segundo os críticos, desafiando a independência dos tribunais, enquanto controla a imprensa livre. A repressão contra organizações sem fins lucrativos é o exemplo mais recente.

Autoridades já apontaram pelo menos sete ONGs para investigações fiscais especiais, incluindo muitas que produziam diversos relatórios críticos sobre tudo, desde a corrupção até os direitos humanos.

Mesmo durante os dias como um satélite soviético, a Hungria tinha praticado um “comunismo goulash”, uma mistura de políticas de mercado livre com a propriedade estatal. Mas o país foi duramente atingido pela crise financeira que varreu o mundo no final dos anos 2000, e a população devastada começou a perder a fé no novo sistema de governança. Uma pesquisa, em 2009 constatou surpreendentemente que três em cada quatro húngaros estavam insatisfeitos com a forma como a nova democracia estava funcionando.

Ao mesmo tempo, dizem os críticos, o governo tem procurado violar as liberdades de imprensa e de expressão. Novos impostos sobre publicidade têm reforçado o poder do governo sobre a mídia. O monitoramento partidário regula a concorrência, bem como o conteúdo, dando-lhe o poder de impedir anúncios considerados como um perigo para a “moralidade pública”.

Tais regras, especialistas em mídia dizem, ainda não foram largamente aplicadas. Mas a ameaça, junto com o medo de que o governo possa retirar todas as publicidade oficiais importantes de veículos privados, fez com que críticos chamassem isso de uma nova autocensura nos meios de comunicação húngaros. “Não é uma democracia mais”, disse o ex-primeiro-ministro húngaro Ferenc Gyurcsány. “Mas não é uma ditadura… Ainda.”

Muitas das ONGs tinham levantado sérias questões sobre ética do governo. Funcionários do governo, no entanto, dizem que as autoridades húngaras estão simplesmente fazendo o seu trabalho, e insistem que os ideais democráticos continuam fortes. “O que estamos pedindo é o mesmo tipo de transparência que as ONGs estão pedindo do governo”, disse Zoltan Kovacs, porta-voz do governo húngaro.

Mas as ONGs enxergam as auditorias como uma tática de pressão, não só contra as críticas, mas sim contra qualquer ideal que confronte a ideologia do governo.

 

Fontes:
The Washington Post-Hungary taking aim at NGOs and, critics say, democracy

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *