Início » Internacional » Os cenários da era de ouro do gás natural
demanda estagnada

Os cenários da era de ouro do gás natural

Este mês o preço do gás natural no mercado americano foi o mais baixo desde meados de 2012

Os cenários da era de ouro do gás natural
Estamos vivendo uma era de ouro, mas só para os consumidores de gás (Reprodução/Shell)

Quando o mundo enfrentou uma crise do petróleo caro e fontes de energia escassas, a International Energy Agency, um instituto de pesquisa especializado em assuntos energéticos para países que importam combustíveis fósseis, elaborou em 2011 um relatório especial no qual anunciava uma “era de ouro do gás”. Segundo o documento, devido à demanda crescente e rápida, sobretudo, das economias emergentes e da geração de energia, o gás substituiria o carvão como fonte de energia em 2030.

As grandes empresas do setor de energia compartilharam esse otimismo. Os preços elevados e a demanda crescente de gás no Leste da Ásia, em especial na China e no Japão, incentivaram as empresas a investirem em enormes projetos em lugares como Austrália e Papua Nova Guiné, para produzir gás natural liquefeito (GNL) extraído de perfurações ao largo da costa ou, no caso de um projeto com um custo de U$20 bilhões da empresa britânica BG Group em Queensland, para exploração do gás extraído de jazidas de carvão. Os Estados Unidos que têm uma grande reserva de gás, graças ao boom do gás de xisto, reformou os terminais costeiros construídos originalmente para importar GNL, para começar a exportá-lo.

Mas surgiu um fato inesperado. O carvão, desprezado por ser o combustível fóssil mais poluidor do mundo, recuperou seu prestígio, sobretudo na Europa, e substituiu o gás como fonte de energia. Esse ressurgimento foi resultado em parte da oferta abundante de carvão barato nos mercados mundiais e, também, em razão das normas de comércio da União Europeia, que permitem a emissão de dióxido de carbono. (Esta semana o Parlamento Europeu discutiu a reformulação dessas normas.)

Assim, a demanda por GNL ficou estagnada nos últimos três anos. Em consequência, o mercado comprador, estimulado pela queda recente do preço do petróleo, teve uma influência predominante na diminuição dos preços do gás. Este mês o preço do gás natural no mercado spot nos Estados Unidos, avaliado por Henry Hub, o centro de distribuição do sistema de tubulação de gás natural situado em Louisiana, foi de cerca de U$2,75 por um milhão de unidades térmicas britânicas (MMBtu), o mais baixo desde meados de 2012. O preço spot de GNL no importante mercado do Japão caiu para U$6,65 por MMBtu, o nível mais baixo em cinco anos e inferior ao preço europeu pela primeira vez em quatro anos.

Na verdade, estamos vivendo uma era de ouro, mas só para os consumidores de gás. Os investidores de grandes empreendimentos, como usinas de liquefação de gás estão tendo sérios prejuízos.

Fontes:
The Economist-Golden scenarios

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *