Início » Internacional » Os heróis judeus esquecidos
Levante do gueto de Varsóvia

Os heróis judeus esquecidos

Há exatamente 70 anos, judeus no gueto de Varsóvia começaram o maior ato único de resistência judaica durante o Holocausto

Os heróis judeus esquecidos
Nesta foto de abril ou maio de 1943, judeus são detidos após o levante e pouco antes da destruição do gueto em Varsóvia (Reprodução/AP)

Há exatos 70 anos, em 19 de abril de 1943, , um grupo de jovens homens e mulheres disparou os primeiros tiros que começaram o maior ato único de resistência judaica durante o Holocausto. O levante do gueto de Varsóvia é justamente comemorado – através de livros, memórias e filmes – como um ato extraordinário de coragem diante da morte quase certa. Aqueles que lutaram no gueto fornecem uma imagem icônica de heroísmo, e um antídoto para tantas imagens de judeus sendo levados para as câmaras de gás.

A revolta foi realmente extraordinária.

No outono de 1940, os nazistas, que haviam derrotado a Polônia, começaram o envio de quase meio milhão de judeus poloneses para um gueto em Varsóvia. Os nazistas os forçaram a construir um muro e, em seguida, os isolaram lá dentro. As crianças começaram a morrer de frio, doenças e fome. Corpos desfalecidos e cadáveres se amontoavam nas ruas.

Morrer, mas com estrondo

Durante o verão de 1942, os alemães enviaram mais de 265 mil judeus do gueto para as câmaras de gás, e mataram milhares mais a tiros. Não foi fácil organizar uma resistência judaica. Os judeus tinham sido arrancados de suas casas, desmoralizados e empobrecidos, acometidos por tifo e fome. Relatos sobre o destino daqueles que tinham sido “deportados” para as câmeras de gás chegavam ao gueto, mas muitas vezes não eram acreditados. Mesmo em 1942, a “solução final” dos nazistas ia além da imaginação da maioria. Mas não de todas as imaginações. Foram predominantemente jovens seculares, tanto homens como mulheres, que começaram a organizar uma resistência no gueto.

No início de 1943, a maioria dos judeus do gueto de Varsóvia já havia sido assassinada. Aqueles que permaneciam eram jovens e sozinhos, tendo perdido suas famílias. Em 18 de janeiro de 1943, combatentes judeus surpreenderam forças alemãs que entravam no gueto com tiros. Diante da resistência, os alemães desistiram, pelo menos naquele momento, das deportações forçadas.

Os combatentes judeus estavam mal armados, mas eram determinados. Foi uma batalha incrível – e sem esperanças de vitória para os judeus. Os alemães incendiaram o gueto. Em 8 de maio, quando os alemães cercaram os combatentes, a maioria cometeu suicídio. Em 16 de maio, o general da SS nazista Jürgen Stroop informou: “O antigo bairro judeu de Varsóvia não existe mais”.

O número de judeus que morreram queimados naquele dia é desconhecido. Mais de 56 mil judeus foram capturados, cerca de 7 mil deles foram mortos a tiros e mais de 7 mil foram enviados para câmaras de gás em Treblinka. Os outros foram enviados para campos de concentração ou mortos a tiros em novembro de 1943.

 

Fontes:
The New York Times - The Jewish Hero history forgot
The Economist - A Polish-Jewish hero

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. olbe disse:

    ESQUECIDOS? Só por quem não é judeu ou não conhece esta triste história .

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *