Início » Internacional » Os terroristas estão ganhando?
ATENTADOS EM SÉRIE

Os terroristas estão ganhando?

A percepção é que a cada dia há um novo ataque em um lugar diferente

Os terroristas estão ganhando?
O sentimento de medo e de insegurança tomaram conta do planeta (Foto: Flickr)

Não são só as doenças que se propagam em surtos. Aparentemente, vivemos uma epidemia do terror. Paris, Bruxelas, Istambul, Nice, Bagdá, Orlando, Munique, Cabul, Normandia… Cada dia é um novo ataque em um lugar diferente.

Assassinatos em massa parecem ter se tornado tão recorrentes que a sensação é que há em curso uma onda de terrorismo global sem limites geográficos, regras claras ou explicação lógica. Há a percepção de uma escalada mundial dos atos de terror, e o sentimento de medo e a insegurança tomaram conta do planeta, como se ninguém  jamais estivesse a salvo.

Será que o clima de pânico generalizado significa que os terroristas estão ganhando?

Sempre que há um grande ataque terrorista, os governos afirmam que os fundamentalistas estão “ficando desesperados”, que estão agindo covardemente porque as coalizões de forças militares aliadas estão avançando em seus bastiões e tomando seus territórios. A lógica é que quando os terroristas não conseguem manter suas posições, atacam alvos fáceis, como locais públicos de países democráticos durante aglomerações de civis.

Seria uma forma encontrada por grupos como o Estado Islâmico de se manterem relevantes e atraentes, evitando uma redução no fluxo de recrutas. Já que a insurgência está fragilizada, o plano deles é inspirar jovens radicalizados a matar implacavelmente nas ruas, nos centros comerciais e sistemas de transporte público usando qualquer ferramenta disponível, sempre que tiverem uma oportunidade.

Então, qual é a solução? Investir na vigilância? Militarizar as nações-alvo? Instaurar um eterno estado de emergência? Fechar fronteiras? Demonizar o inimigo aparente?

Pelo contrário, a solução é minimizar o apelo da ideologia terrorista, investindo pesado em estratégias que estimulem a cidadania e a integração social. É abraçar a miscigenação e a diversidade religiosa.

Governos precisam nutrir a capacidade de seus cidadãos de se adaptar a adversidades, principalmente nas comunidades negligenciadas. Grupos marginalizados são mais propensos à violência ideológica.

 

 

Fontes:
The Daily Beast-ISIS Jihadists, Mass Shooters: What’s Happening to the World?
The Straits Times - Dealing with the terror epidemic

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

3 Opiniões

  1. Beraldo disse:

    Os cinco primeiros parágrafos expressam o óbvio.

    O antepenúltimo parágrafo é realista, o penúltimo uma utopia e o último é enigmaticamente visionário, quase romântico.

    Assunto tão complexo não dá para abordar em tão breve artigo, como se pretendeu.

  2. jorge disse:

    40 anos atrás um grupo politico começou a glamourizar guerrilheiros perante a juventude.
    Não é surpresa alguma a popularidade dos atos terroristas de hoje, é consequência da irresponsabilidade da esquerda na busca do poder a qualquer preço.
    Este mesmo grupo irresponsável quer agora culpar as armas pelos atentados… e há quem acredite.
    “A estupidez humana não tem limite”. A.Einstein.

  3. Roberto1776 disse:

    PODEM REMOVER O SEGUINTE, POR INCONSISTÊNCIA: Pelo contrário, a solução é minimizar o apelo da ideologia terrorista, investindo pesado em estratégias que estimulem a cidadania e a integração social. É abraçar a miscigenação e a diversidade religiosa.

    Governos precisam nutrir a capacidade de seus cidadãos de se adaptar a adversidades, principalmente nas comunidades negligenciadas. Grupos marginalizados são mais propensos à violência ideológica.
    COMO SE TIVESSE SIDO POSSÍVEL EXTIRPAR O NAZISMO COM APELOS POLITICAMENTE CORRETOS.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *