Início » Internacional » Os tristes números dos tiroteios em massa nos EUA
ESTADOS UNIDOS

Os tristes números dos tiroteios em massa nos EUA

Desde agosto de 1966 já ocorreram 150 tiroteios em massa nos Estados Unidos, com quatro ou mais vítimas fatais

Os tristes números dos tiroteios em massa nos EUA
Os lugares mudam, os números mudam, mas a escolha da arma continua a mesma (Foto: Pixabay)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Os Estados Unidos tiveram outro capítulo triste em sua história com mais um tiroteio em massa na última quarta-feira, 14. Desta vez, o alvo foi a Stoneman Douglas High School, na Flórida.

Os lugares mudam, os números mudam, mas a escolha da arma continua a mesma. Nos Estados Unidos, as pessoas que querem matar muita gente frequentemente usam armas de fogo.

Segundo o Washington Post, tiroteios em massa representam uma pequena fração das mortes por armas de fogo do país, mas eles são aterrorizantes porque ocorrem sem aviso nos lugares mais mundanos. A maioria das vítimas é escolhida não pelo que elas fizeram, mas por onde elas estão naquele momento.

Desde 1° de agosto de 1966, quando um aluno atirou em pedestres da torre da Universidade do Texas, já ocorreram 150 tiroteios no país, nos quais quatro ou mais pessoas foram mortas por um atirador ou dois. Este número não inclui as brigas de gangues, assaltos, nem tiroteios dentro de lares domésticos.

Até agora 1.077 pessoas morreram nestes tiroteios em massa. Elas são de diferentes raças, religião e situação socioeconômica. Suas idades variam, 176 são crianças e adolescentes.

Foram usadas 292 armas de fogo. Os atiradores frequentemente levam mais de uma arma. Um deles foi encontrado com 24. Pelo menos 167 das armas usadas em tiroteios em massa foram obtidos legalmente e 49 obtidas ilegalmente. Não está claro como as 76 restantes foram adquiridas.

No total, foram 153 atiradores, alguns eram conhecidos por tendências violentas ou passados criminosos. Outros pareciam bem antes de atacar. Todos, exceto três, eram homens. A grande maioria tinha entre 20 e 49 anos de idade. Mais da metade, 88 deles, morreram perto da cena do crime.

Nos 50 anos antes do tiroteio em massa no Texas, houve apenas 25 tiroteios em massa, nos quais quatro ou mais pessoas foram mortas, de acordo com o autor e criminologista Grant Duwe. Desde então, o número aumentou dramaticamente, e muitos dos tiroteios mais mortais nos EUA ocorreram nos últimos anos.

Tiroteios em escolas e centros religiosos costumam ficar na memória popular, mas eles representam uma pequena fração dos tiroteios em massa. Os mais comuns, nos Estados Unidos, são aqueles que ocorrem em escritórios e estabelecimentos de vendas como restaurantes e lojas. A Califórnia foi o estado que teve mais tiroteios em massa, foram 23 no total.

Fontes:
The Washington Post-The terrible numbers that grow with each mass shooting

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *