Início » Internacional » Ovelha com gene modificado abre debate sobre segurança alimentar
França

Ovelha com gene modificado abre debate sobre segurança alimentar

Na França, ovelha com gene de água-viva foi vendida por engano e acabou no prato de um consumidor. Caso acirrou o debate sobre segurança alimentar

Ovelha com gene modificado abre debate sobre segurança alimentar
Será que o consumidor realmente sabe o que há em seu prato? (Foto: Pixabay)

Uma ovelha geneticamente modificada acirrou o debate sobre a segurança alimentar na França. O caso envolveu a ovelha Rubi, geneticamente modificada com a proteína de uma água-viva.

Pesquisadores do Instituto Nacional de Pesquisa Agronômica (Inra, na sigla em francês), órgão que faz pesquisas científicas com animais, incluíram em Rubi uma proteína extraída da medusa que torna as células fluorescentes. A ideia era usar a ovelha em pesquisas sobre a restauração das células do miocárdio após o infarto.

No entanto, a ovelha acabou indo parar no prato de um consumidor. Isso porque, após as pesquisas, o Inra vende para abatedouros normais os animais que não foram geneticamente modificados.

Irritados com um chefe, dois funcionários do laboratório decidiram se vingar, colocando Rubi em um lote de vendas. O caso ocorreu em outubro do ano passado, mas só foi divulgado esta semana. Segundo o jornal francês Le Parisien, quando o chefe percebeu o sumiço de Rubi, tentou esconder os fatos.

Em nota, o Inra afirmou que o consumo da carne da ovelha não causaria riscos, pois a proteína nela inserida não causa danos à saúde. “Essa proteína (a GFP) não é tóxica. Ela é normalmente utilizada em protocolos de pesquisas, em oncologia e outras doenças”.

A população, no entanto, relacionou o fato a outro caso, ocorrido em 2013, quando marcas de lasanhas congeladas venderam carne de cavalo em vez de boi. A dúvida levantada pelos parisienses é: será que o consumidor realmente sabe o que há em seu prato?

Fontes:
BBC-Ovelha com gene 'luminoso' de água-viva entra em cadeia alimentar e causa polêmica

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *