Início » Internacional » Pais podem bater nos filhos, contanto que a dignidade seja mantida, diz papa
polêmica

Pais podem bater nos filhos, contanto que a dignidade seja mantida, diz papa

Em mais uma declaração polêmica, pontífice diz que o uso do castigo físico para educar crianças é aceitável

Pais podem bater nos filhos, contanto que a dignidade seja mantida, diz papa
Conhecido por sua espontaneidade, o papa tem gerado polêmica pelas suas recentes declarações (Reprodução/Daily Mail)

O Papa Francisco disse que não há problemas em bater em crianças que se comportam mal, “desde que a dignidade delas seja mantida”.  A declaração foi dada na última quarta-feira, 4, durante um discurso do pontífice direcionado aos pais na Praça São Pedro.

Diante de milhares de pessoas, o papa citou uma conversa que teve com um pai que confessou bater nos filhos para punir o mal comportamento. “Uma vez, ouvi um pai dizer ‘Às vezes tenho que bater em meus filhos, mas nunca no rosto, para não humilhá-los’. Isso é ótimo! Ele tem senso de dignidade. Você deve puni-los de forma justa e seguir em frente”, disse o pontífice.

A declaração do papa repercutiu no mundo todo e gerou polêmica sobre o uso de castigo físico para educar crianças. Ativistas dos direitos infantis criticaram a declaração do papa. “As leis de direitos humanos são bem claras. As crianças devem ser protegidas de todos os males”, disse Tanya Ward, chefe-executiva da organização britânica Children’s Rights Alliance.

No Brasil, a Lei da Palmada, em vigor desde 2014, estabelece que “as crianças devem ser educadas sem uso de castigo físico, tratamento cruel ou degradante como forma de correção, disciplina ou educação”. A multa para quem violar a lei é de 20 salários mínimos, “aplicando-se o dobro em caso de reincidência”.

Declarações polêmicas

Conhecido por sua espontaneidade, o papa tem gerado polêmica pelas suas recentes declarações. Em janeiro, o pontífice acusou o Ocidente de fazer uma colonização ideológica, impondo aos países mais pobres sua visão sobre o controle de natalidade e os direitos homossexuais, em troca de ajuda financeira.

Outra declaração constrangedora foi dada na semana do ataque ao jornal francês Charlie Hebdo. O papa declarou que nada justifica matar em nome de Deus, mas que a liberdade de expressão não dá o direito de satirizar a religião alheia. Para exemplificar, o papa disse que seu assistente “poderia esperar um soco, se xingasse sua mãe”.  “É normal. Você não pode insultar a religião dos outros”, disse o papa.

Fontes:
The Independent-It's alright for parents to hit bold children, says Pope

7 Opiniões

  1. SONIA disse:

    Pronto! Agora é o Papa que autoriza o castigo físico em crianças! Talvez a minha visão destes castigos físicos seja deturpada – afinal, leio e pesquiso muito sobre o assunto e chovem evidências do mal que faz tais castigos. Fico muito pensativa quando constato o caos e a barbárie que permeiam o mundo em que vivemos, mundo este onde seres inocentes e frágeis – bebês e crianças – ficam sob a guarda de adultos – em sua esmagadora maioria sem nenhum controle de seus atos. Nas escolas aprende-se as mais variadas matérias, todos se preparam para alguma atividade na idade adulta. Mas continuo insistindo que a mais importante matéria nunca foi sequer mencionada – refiro-me à arte de criar e educar um outro ser humano. Não existe matéria para isto. E não seria a mais importante? Existe algo mais importante do que aprender a educar e ensinar outro ser? Tudo deriva desta fonte.

  2. Ludwig Von Drake disse:

    Correto o pontífice, a Lei não deveria impedir que o responsável use de meios eficazes para conter um jóvem cujo comportamento ofereça perigo real, para sí e para os outros. Não é razoável ter que esperar a tutela do Estado para resolver problemas de indisciplina doméstica. E à propósito da Lei da palmada, nossos legisladores apedeutas não sabem distinguir coerção de violência.

  3. neyjos disse:

    E o que é o papa para dar opinião familiar?
    ele não teve nem tem mulher nem filhos e quer saber mais de quem é pai ou mãe?

  4. André Luiz D. Queiroz disse:

    O Papa Francisco, por mais humilde e simpático que seja, foi muito infeliz nesse pronunciamento.
    E para ‘disciplinar os filhos’, não é necessário usar de violência física: muito melhor usar do expediente do ‘castigo’ , como restringir a liberdade de ir e vir da criança (‘fique sentado aí, de cara pra parede, até eu dizer que pode sair!”), ou cortar pequenos privilégios (“nada de biscoito de chocolate!”), ou impor tarefas (“arrume sua cama, agora!”). Em termos de impor os devidos limites, funciona muito bem,a té melhor do que a palmada no bumbum! E criança nenhuma via crescer ‘traumatizada’ porque o pai ou a mãe a impôs castigos dessa natureza quando eles fizeram alguma malcriação!
    Eu penso assim!

  5. Justice2015 disse:

    Concordo plenamente Victor Ivens: “As leis de direitos humanos são bem claras. As crianças devem ser protegidas de todos os males” a pergunta é: o que é visto como mal pelas pessoas? Quais são os males? perguntaria eu a Tanya Ward, chefe-executiva da organização britânica Children’s Rights Alliance. Será que o mal está em punir a criança por seus erros? o que seria proteger a crianças de todos os males? Questiono!
    Um pai com boa intenção querendo disciplinar seus filhos para serem melhores no futuro não tem direito de puni-los para educa-los se for necessário? seria mal bater? e não é mal deixa-los fazer o que querem embora sabendo que se continuar assim o futuro seria drástico? bonito é ver filho desrespeitando pais, odiando, desonrando e até matando por bel prazer. Isso é que é certo? por que eu como pai não posso punir meu filho com amor para ensina-lo mas posso deixa-lo crescer desobediente e fazendo o que queira embora consciente de que uma criança não tem maturidade nem responsabilidade por seus atos. Sinceramente a “sociedade” perdeu totalmente o senso do que é correto. Na Bíblia que é a palavra de Deus deixada a nos está escrito que não se pode castigar um filho com ira, “ah, porque ele me perturbou demais me deu raiva então vou bate-lo” isso não ensina realmente, isso não traz dignidade. mas vc sentar com seu filho ensina-lo o que é certo, 2,3 ou varias vezes e ainda assim ele não querer cumprir e preferi o errado, nesses casos o castigo é um meio de ensinar a sentir que ele tem necessidade de cumprir aquilo que lhe foi ensinado, o filho precisa sentir que o castigo é para seu bem, é com amor, e isso o leva a buscar ser melhor…Só assim teremos uma geração melhor, cidadãos de bem e nao essa nova geração que se está formando agora onde se proíbe os pais de ensina-los mas se tolera absurdos cometidos por filhos sem ensinamento. Ensino deve partir de casa, não é obrigação da escola, nem da rua, muito menos espera-se que se aprenda na cadeia. Em casa deve ser dado todos os princípios, e ninguém, nem Tanya Ward, nem chefe de órgão algum pode interferir nas leis deixadas por Deus ou querer impedir os pais de dar o tratamento devido ao seu filho. Deus confia os filhos a cada pai e são eles que prestaram conta por seus próprios filhos um dia. E que cada um cuide do seu lar e não se intrometa na vida alheia… há lei pra tanta coisa que cada um deveria resolver, e não ha lei para os piores problemas que hoje acontecem que afeta toda humanidade, e ninguém cuida disso!
    Não estou defendendo aqui que todo pai dever bater em seus filhos, ao contrario disso ensina-o desde pequeno para que isso não seja necessário, e se caso algum dia precisar faz-o com amor, dialoga com a a criança e ensina-lhe o que é certo.
    A Bíblia ensina que a disciplina física é adequada e benéfica: Ler (Provérbios 23:13,14; ver também 13:24; 22:15; 20:30) Quem pode ir contra a palavra de Deus e ter sucesso??????????

  6. Roberto1776 disse:

    Numa sociedade totalmente corrompida pela POLITICAL CORRECTNESS, filha dileta do abominável alemão Karl Marx, é bom que alguém chame a atenção para os excessos cometidos em seu nome (de Karl Marx, especificamente).
    JE SUIS LE PAPE!!!

  7. Victor Ivens disse:

    Por mais polêmico que seja, eu concordo plenamente com as declarações do pontífice.
    Tenho uma questão se “As leis de direitos humanos são bem claras. As crianças devem ser protegidas de todos os males”, o que se espera de uma criança que se vê crescendo sem senso de responsabilidade pelos próprios atos? Essa criança não está sofrendo de um mal terrível que vai assolá-la durante toda sua vida pela falta de caráter que vai ser imposta a ela quando criança?
    Nós vivemos em uma sociedade onde os filhos mandam nos pais e esses nem tem o direito de serem os líderes de seus lares. Nosso futuro é ironicamente brilhante.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *