Início » Internacional » Países da União Europeia rejeitam proposta de cota obrigatória de imigrantes
Imigração na Europa

Países da União Europeia rejeitam proposta de cota obrigatória de imigrantes

Em uma reunião marcada por bate-boca, líderes europeus rejeitaram a proposta para dividir o fluxo de imigrantes entre os países bloco

Países da União Europeia rejeitam proposta de cota obrigatória de imigrantes
A ideia era aliviar o grande fluxo de imigrantes recebidos por Grécia e Itália via Mediterrâneo (Foto: Wikipedia)

A proposta da União Europeia de criar cotas de asilo para imigrantes para cada país do bloco fracassou. Na noite da última quinta-feira, 25, uma reunião com representantes do bloco transformou a questão em um jogo de empurra diplomático.

Leia mais: União Europeia discute cotas obrigatórias de imigrantes

A proposta visava dividir entre os países do bloco 40 mil pedidos de asilo, total que representa uma pequena fração dos cerca de 600 mil pedidos registrados anualmente.  A ideia era aliviar o grande fluxo de imigrantes recebidos por Grécia e Itália via Mediterrâneo.

Porém, a proposta entrou em colapso durante a reunião, que durou cerca de sete horas e culminou com ataques à proposta e bate-boca entre representantes de governos.

Mario Renzi, primeiro-ministro da Itália, que este ano já recebeu 50 mil imigrantes, discutiu várias vezes com outros líderes contrários à proposta. Em determinado ponto, Renzi declarou: “Se isso é a Europa, vocês podem ficar com ela”.

Em vez de criar cotas para dividir os 40 mil pedidos de asilo, os líderes decidiram trabalhar com o asilo voluntário, que poderá ser feito na Hungria e na Bulgária.

A rejeição da proposta é uma derrota para o presidente da Comissão Europeia Jean-Claude Juncker, que pretendia fazer dela o primeiro passo para uma revolução na política de imigração do bloco.

A instabilidade na África está fazendo a União Europeia enfrentar uma onda de imigração. Segundo a Frontex, agência que controla as fronteiras do bloco, de janeiro a maio deste ano 153 mil pessoas tentaram entrar no continente, mais que o dobro registrado no mesmo período do ano passado.

Fontes:
Financial Times-EU plan to share asylum seeker burden collapses

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *