Início » Internacional » Países do Grupo de Lima querem isolamento da Venezuela
CRISE HUMANITÁRIA

Países do Grupo de Lima querem isolamento da Venezuela

Onze nações do bloco assinaram e enviaram uma resolução para a ONU, condenando as violações de direitos da Venezuela e desejando o afastamento do país

Países do Grupo de Lima querem isolamento da Venezuela
Discussão sobre resolução pode ser iniciada na próxima semana (Foto: Wikimedia)

Onze países do Grupo de Lima enviaram à Organização das Nações Unidas (ONU) um documento condenando as violações da Venezuela e incentivando o isolamento do país. Apesar de integrar o bloco, o Brasil não assinou a resolução, mas votará a favor da medida, caso o documento seja analisado.

Mesmo com o apoio brasileiro, os diplomatas dos onze países ainda se preocupam com o posicionamento, sobre a Venezuela, de outras nações. A posição adotada por esses países pode levar a uma rejeição da resolução na ONU.

O Brasil acredita que, mesmo se for aprovado, o documento não reforçaria a pressão internacional contra o governo de Nicolás Maduro. Os países que assinaram a resolução foram Argentina, Canadá, Chile, Colômbia, Costa Rica, Guatemala, Honduras, México, Panamá, Paraguai e Peru.

A discussão pode ser iniciada a partir da próxima semana, conforme solicitou o Grupo de Lima ao Conselho de Direitos Humanos da ONU. A intenção é que sejam promovidas avaliações de denúncias e crimes envolvendo o governo de Maduro.

O texto tem 18 propostas. O Brasil já demonstrou apoio a todas elas em diferentes oportunidades, apesar de não ter assinado o documento. A resolução foca as violações de direitos humanos na Venezuela e a insegurança no país. Os governo venezuelano, por sua vez, se defende afirmando que existe um conluio, liderado por Estados Unidos e Colômbia, para desestabilizar o país.

Fontes:
Agência Brasil-Ação de latino-americanos na ONU quer promover o isolamento de Maduro

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *