Início » Internacional » Países muçulmanos ainda mantêm costumes medievais
Direitos das mulheres

Países muçulmanos ainda mantêm costumes medievais

No Oriente Médio, muitos homens acreditam que as mulheres existem simplesmente para servi-los

Países muçulmanos ainda mantêm costumes medievais
No Líbano, após o casamento, as mulheres passam a ser propriedade dos maridos (Fonte: Reprodução/TV Globo)

Em alguns lugares do mundo, as mulheres ainda sofrem todo o tipo de abuso. No Líbano, após o casamento, as mulheres passam a ser propriedade dos maridos e podem ser agredidas, presas e até mesmo estupradas.

Trata-se de um país que ainda mantém costumes medievais. No Oriente Médio, em pleno ano de 2014, muitos homens acreditam que as mulheres existem simplesmente para servi-los.

As mulheres muitas vezes sofrem maus tratos, têm os órgãos genitais mutilados e são torturadas dentro de suas próprias casas.

O Líbano aparece em 14º lugar entre 47 países muçulmanos que mais desrespeitam os direitos das mulheres, segundo um ranking divulgado pela ONU em março.

Mais de 27 milhões de mulheres tiveram os órgãos genitais mutilados no Egito, ainda de acordo com a ONU. Já no Iraque, mulheres são vendidas e estupradas.

Os supostos direitos dos homens sobre as mulheres são atestados até mesmo por leis no Iêmen, Kuwait, Sudão, Argélia e Marrocos, onde o marido agredir a própria mulher não é considerado crime.

As vítimas de estupro que procuram a polícia na Arábia Saudita, Emirados Árabes e Sudão podem ser presas por adultério.

Fontes:
G1 - Mulheres são vistas como propriedades dos homens no Líbano

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Anselmo Heidrich disse:

    E ai de quem criticá-los… Em primeiro lugar será perseguido pela patrulha politicamente correta que não admite ‘discriminação’, o que é no mínimo hipócrita, pois o tratamento dado às mulheres é baseado na pura discriminação negativa; em segundo, pelos próprios fanáticos religiosos que irão proferir uma fatwa (pronunciamento legal muçulmano) determinando sua morte. Nada discriminatório, não? Nos dos outros é doce…

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *