Início » Internacional » Papa Francisco diz que liberdade de expressão tem limites
Papa Francisco

Papa Francisco diz que liberdade de expressão tem limites

‘Ninguém pode provocar, ninguém pode insultar a fé alheia, ninguém pode zombar da fé’, disse o pontífice

Papa Francisco diz que liberdade de expressão tem limites
Papa deu entrevista no avião papal a caminho das Filipinas, o maior país católico na Ásia (Reprodução/ Alessandra Tarantino/ AP)

Em coletiva informal a bordo do avião papal, o Papa Francisco disse a jornalistas que existem limites à liberdade de expressão, quando as crenças dos demais estão envolvidas. Apesar de condenar severamente o ataque ao Charlie Hebdo, em Paris, o pontífice afirmou que o insulto e o deboche não podem ser naturalizados.

Leia mais: Al Qaeda no Iêmen assume autoria de atentado contra Charlie Hebdo
Leia mais: Primeira capa do ‘Charlie Hebdo’ após ataque é alvo de críticas
Leia mais: Veja as capas mais polêmicas do jornal francês ‘Charlie Hebdo’

Em viagem do Sri Lanka para as Filipinas, o maior país católico na Ásia, o papa disse que liberdade de expressão é um direito fundamental, mas “toda religião tem a sua dignidade”.

“Ninguém pode provocar, ninguém pode insultar a fé alheia, ninguém pode zombar da fé”, disse sobre o ataque que matou 12 pessoas na redação do jornal satírico que fez caricaturas sobre o profeta Maomé.

“Matar em nome de Deus é uma aberração, mas a liberdade de expressão não dá direito de insultar a fé do próximo”, disse. “Acredito que tanto a liberdade religiosa quanto a de expressão são direitos humanos fundamentais. Todos têm não apenas o direito, mas a obrigação de dizer o que pensa pelo bem comum. Podemos fazer isto sem ofender. Se, meu bom amigo, o doutor [Alberto] Gasparri [assessor que organiza as viagens papais], ofender minha mãe, ele pode esperar um soco. É normal. Mas você não pode provocar, insultar a fé dos outros, fazer zombaria”.

Na viagem, a questão da intolerância religiosa foi um dos principais temas da entrevista.

“Consideremos nossa própria história. De quantas guerras religiosas a Igreja Católica participou? Até nós fomos pecadores”, avaliou.

O Papa ainda descartou temer um ataque a sua própria vida.

“Estou nas mãos de Deus”, brincou. “Se tenho medo? Vocês sabem que tenho o defeito de ser descuidado. Se algo acontecer comigo, avisei ao Senhor apenas que não doa, porque perco a coragem diante da dor”.

 

Fontes:
The Guardian-Pope Francis: there are limits to freedom of expression
O Globo-Papa Francisco: 'Liberdade de expressão não dá direito de insultar a fé do próximo'

2 Opiniões

  1. Beraldo Dabés Filho disse:

    Onde estão os hipócritas que dominam a mídia geral brasileira, que não se pronunciam sobre a posição do Papa? Francisco tapou a boca deles.

  2. André Luiz D. Queiroz disse:

    O Papa Francisco expressou exatamente o que tentei dizer em meu comentário sobre o artigo do jornalista David Brooks, do NYT, “I am not Charlie Hebdo”: de que a liberdade de expressão não é salvaguarda para dizer e fazer o que der na telha, em desrespeito aos outros, ainda mais quando se trata de valores como a fé. Há de se ter sempre bom senso, estes são os limites!
    “Ninguém pode provocar, ninguém pode insultar a fé alheia, ninguém pode zombar da fé” — disse o Papa; fosse eu, teria dito: “Ninguém deve provocar, ninguém deve insultar a fé alheia, ninguém deve zombar da fé”. Poder, até pode (a liberdade de expressão), mas não deve! (porque a liberdade de um termina onde começa a liberdade dos outros!)
    Eu penso assim!

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *