Início » Internacional » Papa Francisco recebe líder indígena brasileiro no Vaticano
APOIO DA IGREJA

Papa Francisco recebe líder indígena brasileiro no Vaticano

O encontro é referente ao preparo para a Assembleia Especial do Sínodo dos Bispos, no qual serão discutidas novas medidas protetivas para a Amazônia

Papa Francisco recebe líder indígena brasileiro no Vaticano
O encontro entre o pontífice e o líder indígena ocorreu nesta segunda, 27 (Foto: Instagram/Franciscus)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O líder indígena Raoni Metuktire, que atua contra o desmatamento da Amazônia, foi recebido nesta segunda-feira, 27, pelo Papa Francisco, no Vaticano.

De acordo com o porta-voz do papa, Alessandro Gissoti, o encontro entre o pontífice e o indígena é referente ao preparo para a Assembleia Especial do Sínodo (Encontro) dos Bispos para a região Pan-amazônica, que será realizada de 6 a 27 de outubro deste ano.

Com o tema “Amazônia: Novos caminhos para a Igreja e para a Ecologia”, o Papa Francisco, junto com outros bispos, convidaram o mundo a refletir a respeito do tema e sobre novos caminhos de evangelização a serem elaborados. Esta é a primeira vez que a Igreja Católica apoia oficialmente atividades em favor do cuidado do meio ambiente.

Em outubro de 2015, o Papa Francisco já havia publicado a encíclica Laudato Si (Louvado Seja), atacando um modelo de desenvolvimento que considera injusto, convidando os fiéis católicos a tomarem medidas contra a exploração extrema do meio ambiente.

Para a Igreja, é importante escutar os povos indígenas e todas as comunidades que vivem na Amazônia. O encontro prevê um “futuro tranquilo” e o “bem viver” para as futuras gerações da região, além de indagar qual será a missão específica da Igreja diante dessa realidade.

Segundo Raoni Metuktire, a Amazônia está sofrendo com o desmatamento e também com a intensa extração de madeira por toda a região.

O cardeal brasileiro Cláudio Hummes, que será o relator geral do Sínodo dos Bispos, reconheceu recentemente que a defesa da Amazônia gera “muitas resistências e incompreensões”.

Atualmente a Amazônia tem 390 povos, com diferentes identidades culturais e dialetos próprios, e 120 aldeias vivendo em isolamento voluntário. Compartilhado com nove países, o território é habitado por 34 milhões de pessoas, contendo 20% da água doce não congelada do mundo e 34% de florestas primárias, além de 30% a 50% da fauna e flora de todo o planeta.

O Sínodo para a Amazônia é visto com desconfiança pelo governo Jair Bolsonaro. Em fevereiro deste ano, uma reportagem do jornal Folha de S.Paulo revelou que o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) vem monitorando as discussões em torno da iniciativa.

Isso porque, embora tenha apoio de cristãos evangélicos, o governo considera a Igreja Católica uma aliada do PT. Na época em que a reportagem veio à tona, o GSI divulgou uma nota confirmando que “existe a preocupação funcional do Ministro de Estado Chefe do Gabinete de Segurança Institucional [o general Augusto Heleno] com alguns pontos da pauta do Sínodo”.

Líder caiapó pela Europa

O líder indígena iniciou sua viagem pela Europa no último dia 12 de maio, ao lado de três outros líderes do Xingu, sendo recebido por chefes de Estados, como o presidente francês, Emmanuel Macron.

Os líderes indígenas também protestaram com jovens manifestantes contra as mudanças climáticas do mundo. Metuktire esteve presente no Festival de Cannes, que foi finalizado no último final de semana, a fim de solicitar apoio para o projeto da Amazônia.

Leia mais: Planalto monitora conferência da Igreja Católica

Fontes:
G1-Papa Francisco recebe líder indígena brasileiro Raoni no Vaticano

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Almanakut Brasil disse:

    O que igreja Católica, a ONU e as pilantrONGs socialistas estão fazendo no mundo se voltará contra eles mesmos, pela sobrevivência do próprio mundo.

    Tudo o que essas entidades possuem em matéria de patrimônios e riquezas não veio por causa das minorias.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *