Início » Internacional » Paquistão reativa pena de morte para casos de terrorismo
em resposta ao talibã

Paquistão reativa pena de morte para casos de terrorismo

Decisão foi tomada após ataque do talibã matar mais de 140 pessoas em uma escola em Peshawar

Paquistão reativa pena de morte para casos de terrorismo
Estudantes fazem oração dedicada às vítimas do ataque (Reprodução/Reuters)

Nesta quarta-feira, 17, o governo do Paquistão suspendeu a moratória da pena de morte para casos de terrorismo no país. A medida foi tomada no dia seguinte a um ataque talibã em uma Escola Pública do Exército, em Peshawar. Os corpos das vítimas vão começar a ser enterrados nesta manhã, depois de vigílias realizadas durante toda a noite.

Leia mais: Ataque do Talibã a escola em Peshawar deixa 145 mortos

As condenações à morte no país são relativamente frequentes, mas a pena deixou de ser aplicada em 2008, excetuando o caso de um soldado condenado, em 2012, por um tribunal militar. A Anistia Internacional calcula que mais de 8 mil pessoas estejam no corredor da morte no Paquistão.

O primeiro-ministro do Paquistão, Nawaz Sharif, se reunirá nesta quarta-feira com os principais partidos políticos para discutir a situação no país após o ataque, descrito por Sharif como uma “tragédia nacional”, condenada pelos líderes mundiais a até pelo talibã afegão.

O Paquistão amanheceu com bandeiras hasteadas a meio mastro e com as escolas e o comércio fechados. Faixas expressando solidariedade às famílias das vítimas e condenando o ataque foram colocadas nos principais pontos da cidade.

O ataque contra a Escola Pública do Exército em Peshawar, no noroeste do Paquistão, foi o atentado mais violento da história do país e provocou uma onda de indignação na população. Nove homens armados do talibã invadiram a escola na última terça-feira, 16, atirando aleatoriamente, jogando granadas e enfileirando estudantes para execução. De acordo com os dados divulgados no jornal New York Times, 132 dos 145 mortos eram estudantes.

O talibã afirmou que o ataque foi uma retaliação à ofensiva militar do governo paquistanês contra o grupo. Muhammad Khurasani, porta-voz do Talibã paquistanês, disse que a escola foi escolhida para o ataque porque era frequentada principalmente por filhos de militares. “Queremos que eles sintam a dor”, disse o porta-voz.

Fontes:
The New York Times- Pakistan Premier Lifts Death Penalty Moratorium Following School Massacre
O Globo- Paquistão reativa pena de morte para casos de terrorismo após massacre em escola

1 Opinião

  1. Joma Bastos disse:

    Que Atrocidade!

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *