Início » Internacional » Parlamento russo aprova lei que proíbe ‘propaganda gay’
Contra a maré

Parlamento russo aprova lei que proíbe ‘propaganda gay’

Na prática, lei criminaliza a realização de eventos que celebrem o orgulho gay e a defesa pública dos direitos dos homossexuais

Parlamento russo aprova lei que proíbe ‘propaganda gay’
Manifestações do orgulho gay estão perto de serem proibidas por lei na Rússia (Reprodução/Reuters)

O Parlamento da Rússia aprovou nesta terça-feira, 11, um projeto de lei que proíbe qualquer propaganda do homossexualismo e estabelece pesadas multas e penas de prisão para os infratores. Críticos temem que a medida abrangente e vaga leve a uma maior repressão contra os gays no país.

Leia também: O declínio da Gazprom pode ser bom para a Rússia
Leia também: Angela Merkel sabe lidar melhor com a Rússia do que Obama

O texto da lei proíbe qualquer “propaganda de relações sexuais não tradicionais”, o que na prática torna crime a realização de eventos que celebrem o orgulho gay, falar em defesa dos direitos dos homossexuais ou dizer que os relacionamentos gays são iguais aos heterossexuais.

A  votação unânime (436 a favor e 0 contra) ocorreu logo após a Duma, a câmara baixa do Parlamento russo, aprovar outro projeto de lei estabelecendo multas e penas de prisão para qualquer um condenado por insultar a religião de outra pessoa. Esta proposta de lei foi criada após o grupo punk Pussy Riot realizar um protesto anti-Kremlin dentro da principal catedral de Moscou em 2011. Duas das três integrantes da banda ainda estão presas.

Proibição absoluta

A  lei está escrita de forma tão abrangente que equivale a uma proibição total. O projeto agora vai para o Conselho da Federação, a câmara alta do Parlamento russo, onde tem amplo apoio, e, em seguida, Putin deve assiná-la para transformá-la em lei. As duas leis votadas nesta terça-feira fazem parte de uma série de ações do Kremlin para tentar levantar a popularidade do presidente Vladimir Putin  com seus partidários mais tradicionalistas.

Antes da votação, cerca de 20 ativistas dos direitos gays foram presos após a realização de um “beijaço” em protesto à votação, em frente ao prédio do Parlamento. Os ativistas foram recebidos por um grupo muito maior de manifestantes antigay que gritavam “A Rússia não é Sodoma” e cantavam orações cristãs ortodoxas.

Em um levantamento recente do centro de pesquisa estatal VTsIOM , 88% dos entrevistados disseram concordar com a proibição. Uma outra pesquisa feita em maio pelo Centro Levada, uma instituição de pesquisas independente, constatou que 47% dos russos acham que os gays não devem gozar dos mesmos direitos que os heterossexuais.

Na Rússia, a homossexualidade era ilegal durante a era Soviética, mas foi descriminalizada em 1993.

Fontes:
The Wall Street Journal - Russia Passes Law Banning Gay 'Propaganda'

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Samuel disse:

    Nada mais natural para quem considera o homossexualismo uma aberração. Sim porque esse desvio comportamental não tem nada de normal, tampouco natural. A promiscuidade e degeneração das sociedades ocidentais conseguiram convencer a grande maioria de suas populações a aceitarem a homossexualidade tudo objetivando agradar um público restrito de consumidores fiéis. Felizmente esta nefasta lógica da exploração capital ainda não contaminou a população russa que ainda conserva a sua moral e dignidade humana.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *