Início » Vida » Comportamento » Parte externa dos bares geram impasse em Barcelona
ESPANHA

Parte externa dos bares geram impasse em Barcelona

Cidade espanhola tenta conciliar uma tradição da vida social local com reclamações de fumo passivo e barulho

Parte externa dos bares geram impasse em Barcelona
Disputa coloca em lados opostos donos de bares e moradores (Foto: TripAdvisor)

Beber um drinque ou um café em uma varanda ensolarada da parte externa de um bar ou de um restaurante em Barcelona é um dos programas mais populares da cidade.

“As varandas fazem parte do estilo de vida dos povos mediterrâneos. A maioria dos moradores da cidade mora em apartamentos pequenos e, por isso, elas são uma extensão de sua sala de visitas. Assim como falar de restaurantes sofisticados nos traz à mente a gastronomia francesa, as varandas são o símbolo da vida na Espanha”, explica Roger Pallarols, presidente da Associação de Proprietários de Restaurantes de Barcelona.

Mas nem todos concordam com a opinião. A prefeitura alega que vários bares e restaurantes não têm licença de funcionamento e ocupam muito espaço público, uma discussão agora ainda mais polêmica com o anúncio dos planos do governo regional da Catalunha de proibir o fumo na parte externa dos bares.   

Desde que a proibição de fumar em ambientes fechados entrou em vigor, em 2010, as varandas passaram a ser espaços disputados por fumantes.

“A proibição de fumar em ambientes fechados duplicou o número de lugares nas varandas em Barcelona e, hoje, os bares e restaurantes têm 5 mil lugares disponíveis para os clientes. O aumento do número de clientes salvou muitos estabelecimentos comerciais da falência”, disse Pallarols.

A Espanha é um dos países com a maior taxa de tabagismo da União Europeia (UE). Segundo a Eurostat, os fumantes representam 22% da população no país, em comparação com 18% na UE.

As autoridades locais estão no centro de uma longa disputa entre donos de restaurantes e moradores. Os turistas adoram sentar nas varandas para tomar um aperitivo ou fazer uma refeição. O turismo é uma excelente fonte de renda para o setor de serviços de Barcelona, cidade que é um dos pontos turísticos mais visitados na Europa.

Mas os moradores reclamam que os clientes dos bares superlotados embriagam-se e fazem barulho, impedindo-os de dormir. Eles querem que a prefeitura regulamente o horário de encerramento das atividades para evitar o barulho de madrugada.

O movimento de turistas é mais intenso em Barceloneta, o bairro à beira-mar, e na Ciutat Vella, a parte antiga da cidade. A beleza arquitetônica da Ciutat Vella atrai um grande número de turistas. 

No ano passado, a prefeitura e a Associação de Proprietários de Restaurantes chegaram a um acordo para reduzir o número de mesas em varandas da parte externa dos bares. Porém, os moradores ficaram descontentes com os termos do acordo.

“A prefeitura não atendeu aos pedidos dos moradores e deu excessiva liberdade aos donos de bares e restaurantes para regulamentar o funcionamento de seus espaços”, observou Diego Martín, representante da associação de moradores do Barrio Gotico, na Ciutat Vella.

Por outro lado, os donos de bares e restaurantes também reclamaram das medidas adotadas pela prefeitura. “O fato de retirar cadeiras e mesas sem pensar em como reaproveitar o espaço resultou, em muitos casos, na ocupação das áreas por pessoas com um comportamento antissocial”, disse Juan Carlos Arriaga, dono da cadeia de restaurantes Sagardi, que emprega cerca de 300 pessoas no bairro El Born, em Ciutat Vella.

Segundo os termos do acordo, os bares e restaurantes têm de fechar as portas à meia-noite de domingo a quinta-feira, e à 1 hora da manhã na sexta-feira e no sábado, além de feriados. Mas Pallarols insiste em dizer que, na maioria das vezes, os vizinhos se queixam do barulho depois que eles fecham.

“A prefeitura tem a obrigação de tentar encontrar uma solução para que as pessoas possam conviver em harmonia nos espaços públicos. Estamos fazendo o possível para atender a todas as reivindicações”, declarou a vice-prefeita, Janet Sanz.

“As pessoas gostam de sentar ao ar livre para beber, comer, conversar com amigos, assistir ao pôr do sol etc. As varandas atraem um grande número de turistas nos meses de verão. A receita do turismo nos ajuda a pagar os salários dos funcionários durante o inverno”, disse Kate Preston, que abriu seu primeiro restaurante na cidade em 2003 e agora tem nove restaurantes, entre eles o badalado Taller de Tapas.

Alguns moradores que frequentam as varandas, sobretudo os que têm filhos pequenos, queixam-se que o fumo passivo é prejudicial à saúde. Porém, a maioria acha que o fumo passivo é uma ameaça menor à saúde do que o alto índice de poluição atmosférica da cidade. Além da poluição, crimes como roubos de celulares e bolsas têm aumentado em Barcelona.

“As autoridades deveriam se concentrar no combate à criminalidade e à poluição, problemas muito mais sérios e urgentes do que a questão do fumo em áreas ao ar livre”, acrescentou Preston.

Fontes:
The Guardian-Outdoor smoking ban escalates war over Barcelona's restaurant terraces

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *