Início » Vida » Comportamento » Pedestres urbanos anteciparam uma tendência
Caminhando em Londres

Pedestres urbanos anteciparam uma tendência

Em uma década, número de pedestres em Londres aumentou consideravelmente

Pedestres urbanos anteciparam uma tendência
Todos os dias as pessoas realizam 6,2 milhões de caminhadas pela cidade (Reprodução/Alamy)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Londres é uma cidade feita para se caminhar. Diferentemente de, por exemplo, Los Angeles, o seu centro é facilmente acessível a pé. Os bairros mais externos não ficam a mais de duas horas de distância. As suas ruas curvas, em contraste com os rígidos quarteirões de Nova York, recepcionam tanto trabalhadores ocupados quanto caminhantes ao léu. Isso está começando a mudar. Entre 2001 e 2011, o número de trajetórias percorridas a pé aumentou quase 12%. Quase um terço dos londrinos fizeram uma caminhada contínua semanal de 30 minutos entre 2010 e 2011 com fins de deslocamento, não de exercício. Todos os dias as pessoas realizam 6,2 milhões de caminhadas pela cidade.

E tanto os ricos como os pobres percorrem distâncias similares. Em áreas como Kensington e Chelsea, 11% das pessoas andam por pelo menos 30 minutos cinco vezes por semana ou mais. Em Tower Hamlets 12% dos residentes o fazem. Uma das maiores mudanças na cidade na década passada é o número de pedestres, afirma Michèle Dix da Transport for London (TfL), a empresa que administra as redes de transporte da cidade. Em 10 de julho a TfL lançou a Roads Task Force, que visa reformar calçadas.

 

Texto da revista Economist editado para o Opinião e Notícia

Tradução: Eduardo Sá

Fontes:
The Economist-Footfalls

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *