Início » Internacional » Pelo menos 19 pessoas morreram em rompimento de represa
TRAGÉDIA NO LAOS

Pelo menos 19 pessoas morreram em rompimento de represa

Ao todo, 131 pessoas ainda estão desaparecidas, 1,3 mil casas foram danificadas e 3 mil cidadãos precisam ser resgatados

Pelo menos 19 pessoas morreram em rompimento de represa
Até o momento, autoridades confirmam que já foi realizado o resgate de 2.851 pessoas (Foto: KPL)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O governo do Laos atualizou nesta quarta-feira, 25, os números de afetados pelo rompimento da represa em construção no sul do país, na última segunda-feira, 23.

Até o momento, foram confirmados 19 mortos, 131 desaparecidos e 1,3 mil casas danificadas. Além disso, mais de 3 mil pessoas necessitam de resgate. Até o momento, autoridades confirmam que já foi realizado o resgate de 2.851 pessoas.

“O número de pessoas desabrigadas subiu para 3.060 e 131 pessoas estão desaparecidas. Como a inundação ainda em curso, outras cinco ou seis aldeias estão sendo afetadas pela enchente”, afirmou o primeiro-ministro, Thongloun Sisoulith, segundo noticiou a agência estatal chinesa Xinhua.

Acredita-se que o número de mortos ainda pode aumentar devido ao grande número de pessoas desaparecidas. Aldeias de Attapeu foram completamente inundadas por conta do rompimento da barragem, que liberou cerca de 5 bilhões de metros cúbicos de água. As autoridades usam embarcações e helicópteros para procurar os desaparecidos.

De acordo com a SK Engenharia e Construção (SK E & C), uma das empresas responsáveis pela barragem, eles tentaram aliviar a pressão na represa, causada pelas fortes chuvas, liberando parte da água no rio na manhã da última segunda-feira. A companhia informou, através de uma nota, que alertou “imediatamente às autoridades e começaram a deslocar os aldeões” devido ao risco de rompimento da barragem.

De acordo com a ONG International Rivers, através de um comunicado divulgado em seu site, o colapso da represa expõe os riscos de segurança de barragens. Além disso, de acordo com a organização, a represa em construção foi derrubada devido às fortes chuvas e pelas condições das monções.

As equipes de busca e resgate tentam trabalhar rápido, pois, segundo o serviço meteorológico, há previsão de chuvas fortes e moderadas na região, o que pode agravar ainda mais a situação, segundo noticiou a Agência Brasil.

Apoio internacional

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) está trabalhando para fornecer serviços essenciais para cerca de 6.331 pessoas que foram afetadas pelas inundações. A organização está identificando as necessidades mais urgentes e implantando uma equipe de apoio. Estima-se que cerca de 1,5 mil famílias serão auxiliadas com fornecimento de água, saneamento e kits de higiene pessoal nas próximas horas.

“Estamos profundamente tristes com as notícias em Attapeu. É imperativo que atendamos a necessidades humanitárias urgentes e garantamos a segurança de crianças e famílias que foram deslocadas pelas enchentes”, destacou Octavian Bivol, representante do Unicef em Laos, segundo noticiou a KPL, a agência oficial de notícias do Laos.

A Coreia do Sul informou que vai enviar uma equipe de resgate e ajuda humanitária para Laos nas próximas horas – a empresa SK E & C é coreana e uma das responsáveis pelo projeto da barragem. O governo sul-coreano está trabalhando para pensar em novas formas de ajudar o país do sudeste asiático. As informações foram divulgadas pela agência de notícias Yonhap.

Já o governo da Tailândia ofereceu US$ 147 mil para ajudar as vítimas das enchentes em Laos. Ademais, os tailandeses vão fornecer água potável, alimentos e barracas de plásticos para os moradores da província de Attapeu.

Fontes:
KPL-19 Killed In Flash Flood, Local Authorities Confirmed
The Guardian-Laos dam collapse: 3,000 in need of rescue as death toll rises to 19

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *