Início » Vida » Ciência » Pesquisadores analisam a questão de gênero nas carreiras científicas
Estudo

Pesquisadores analisam a questão de gênero nas carreiras científicas

Os resultados de um estudo realizado por Wendy Williams e Stephen Ceci da Universidade de Cornell são intrigantes

Pesquisadores analisam a questão de gênero nas carreiras científicas
A ciência, segundo o preconceito popular, é um mundo reservado aos homens (Reprodução/Wikipedia)

A ciência, segundo o preconceito popular, é um mundo reservado aos homens. Hoje, essa premissa não se aplica a muitas disciplinas, em especial no campo da biologia. Mas algumas pesquisas recentes mostraram que as mulheres ainda são discriminadas no processo de recrutamento e promoção em que se baseiam as carreiras científicas, sobretudo, em áreas como engenharia, matemática e física, que continuam a ser bastiões masculinos.

Porém os resultados de um estudo realizado por Wendy Williams e Stephen Ceci da Universidade de Cornell são intrigantes. Como relataram em Proceedings of the National Academy of Sciences, Williams e Ceci pesquisaram a tendência da escolha de gênero em uma das etapas mais importantes da carreira científica, o recrutamento para ocupar o cargo de professor de ensino superior com uma possível estabilidade no emprego. Um professor bem-sucedido nos primeiros anos de exercício do cargo terá um emprego para o resto da vida. E os dois pesquisadores descobriram uma preferência pelas mulheres.

Williams e Ceci imaginaram três candidatos hipotéticos a cargos de professores de ensino superior em diversos campos. Dois dos três candidatos eram extremamente bem qualificados e o terceiro um pouco menos. Eles enviaram os currículos dos três candidatos e comentários a respeito de cada um deles para 873 professores de alto nível de departamentos de biologia, economia, engenharia e psicologia de 371 universidades norte-americanas. Os pesquisadores adaptaram as características de cada candidato para coincidir com a disciplina em questão e, aleatoriamente, referiram-se aos dois candidatos mais qualificados como “ele” e“ela”. Os professores que haviam recebido os currículos e comentários teriam apenas de escolher o melhor dos três.

Os professores de biologia, engenharia e psicologia escolheram, com uma margem esmagadora (tão alta quanto três para um no caso de psicologia) os candidatos do sexo feminino, apesar de os candidatos masculinos terem também qualificações para ocupar o cargo. Além disso, fizeram a escolha independente do fato de eles próprios serem homens ou mulheres. Só os professores do departamento de economia divergiram desse padrão. Nessa disciplina os professores do sexo masculino revelaram uma ligeira preferência pelos homens, embora as mulheres tivessem uma forte tendência a escolherem candidatas do sexo feminino.

Fontes:
Economist-The unfairer sex?

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *