Início » Internacional » Pizzolato entra na lista de procurados da Interpol
Condenado no mensalão

Pizzolato entra na lista de procurados da Interpol

Ex-diretor do Banco do Brasil agora será procurado em 190 países

Pizzolato entra na lista de procurados da Interpol
Pizzolato foi incluído na lista de procurados da Interpol, chamada difusão vermelha (Fonte: Reprodução/Interpol)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O ex-diretor de marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato, que foi condenado no julgamento do mensalão e fugiu para a Itália, entrou nesta segunda-feira, 18, para a lista de procurados da Interpol, a polícia internacional.

O pedido foi feito pela Polícia Federal no último sábado, 16. Pizzolato, que teve a prisão decretada pelo STF na sexta-feira, 15, está sendo considerado foragido.

O site da Interpol alerta sobre a situação de Pizzolato, que passa a ser procurado em 190 países.

O ex-diretor do Banco do Brasil, que tem dupla cidadania, quer um novo julgamento na Itália. Ele é o único dos 12 condenados no mensalão que tiveram os mandados de prisão expedidos na última semana que ainda não se apresentou à PF.

Henrique Pizzolato foi condenado a 12 anos e 7 meses por formação de quadrilha, peculato e lavagem de dinheiro. A pena deve ser cumprida em regime fechado.

Fontes:
G1 - Em site, Interpol inclui Henrique Pizzolato na lista de procurados

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Francisco disse:

    Se o nosso ministro , Tasso Genrro, do PT , nao tivesse protegido aquele assasino que a italia pediu para extraditar, tratou o bandido como refugiado politico, protegeu em nome dos amigos de ideologia, e fez pior negou asilo aos boxeadores cubanos que queriam fugir do inferno da ilha do Fidel
    Hoje poderiamos ter moral para pedir a extradicao do Pizziolato, que so um mero ladrao.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *