Início » Internacional » Plano da União Europeia quer forçar cotas de imigrantes
Crise no Mediterrâneo

Plano da União Europeia quer forçar cotas de imigrantes

Em meio à crise no Mediterrâneo, proposta para dividir imigrantes entre países membros da União Europeia põe a Alemanha, que apoia o regime, contra o Reino Unido

Plano da União Europeia quer forçar cotas de imigrantes
O movimento ousado das Bruxelas vem com a elaboração de planos da União Europeia para ataques militares na Líbia para tentar conter o fluxo de pessoas em todo o Mediterrâneo, visando as redes de tráfico (Foto: Wikipédia)

O órgão executivo da União Europeia visa estabelecer novas propostas radicais sobre a imigração, impondo cotas de imigrantes nos 28 países da união sob um sistema estabelecido pelas Bruxelas. O plano, que é apoiado pela Alemanha e vai sofrer feroz resistência por parte do novo governo conservador, será lançado pela Comissão Europeia na próxima quarta-feira em resposta à crise do Mediterrâneo.

O movimento ousado das Bruxelas vem com a elaboração de planos da União Europeia para ataques militares na Líbia para tentar conter o fluxo de pessoas em todo o Mediterrâneo, visando as redes de tráfico.

Segundo representantes de Bruxelas, a Grã-Bretanha está elaborando a resolução do Conselho de Segurança da ONU que autoriza a missão, que viria sob o comando italiano, com a participação de cerca de dez países da União Europeia, incluindo Grã-Bretanha, França, Espanha e Itália.

Embora exista um amplo apoio da União Europeia para os planos militares, as propostas de partilhar o fardo da imigração são altamente controversas e dividem opiniões. Na noite de domingo, o Ministério do Interior disse que os planos eram inaceitáveis para o Reino Unido, colocando Cameron em rota de colisão com a chanceler alemã Angela Merkel e outros líderes da União Europeia.

“O Reino Unido tem uma história orgulhosa de oferecer asilo para aqueles que mais precisam, mas nós não acreditamos que um sistema obrigatório de reassentamento seja a resposta. Vamos nos opor a qualquer proposta da Comissão Europeia para introduzir uma cota não voluntária”, disse um porta-voz.

Bruxelas propõe invocar mecanismos de emergência até ao final do mês que vai obrigar os 28 países para compartilhar o número de “pessoas em clara necessidade de proteção internacional” e “para garantir uma participação justa e equilibrada de todos os Estados-membros para este esforço comum. Esta etapa será o precursor de uma solução duradoura “.

Na sequência de intensas conversações durante a semana passada em Bruxelas, seis estados da União Europeia se comprometeram a participar. Além deles, vários outros são esperados para oferecer participação. Todos os 28 Estados-membros disseram apoiar a proposta.

Os planos serão debatidos pelos ministros de Relações Exteriores da União Europeia na próxima semana e uma cúpula ocorrerá no próximo mês.

 

 

Fontes:
The Guardian-EU plans migrant quotas forcing states to 'share' burden

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *