Início » Internacional » Política de acolhimento leva partido de Merkel à derrota histórica
ALEMANHA

Política de acolhimento leva partido de Merkel à derrota histórica

Chanceler Angela Merkel reconhece que sua política de acolhimento de refugiados afastou eleitores de seu partido

Política de acolhimento leva partido de Merkel à derrota histórica
Merkel, no entanto, reafirmou que o acolhimento é benéfico para o país (Foto: Wikimedia)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A chanceler alemã Angela Merkel assumiu a responsabilidade pelo amargo desempenho de seu partido, o União Democrata-Cristã (UDC), nas eleições municipais de Berlim realizadas no último domingo, 18.

Em um encontro com lideranças do partido em Berlim, a chanceler disse, emocionada, que sua decisão de permitir a entrada de milhares de refugiados na Alemanha no ano passado afastou os eleitores e, como consequência, levou o partido a uma derrota histórica.

“Se eu pudesse, eu faria o tempo voltar muitos, muitos anos atrás para melhor preparar a mim e a todo o governo da Alemanha para a situação que nos pegou despreparados no final do verão de 2015. Ninguém, incluindo a mim, quer repetir essa situação”, disse Merkel, em um discurso emotivo que contrastou com seu famoso controle temperamental.

O UDC terminou o pleito em segundo lugar, com 17,6%  dos votos, o pior desempenho já registrado pelo partido nas eleições municipais de Berlim. Em primeiro, ficou o Partido Social-Democrata (PSD), com 21,6% dos votos.

A chanceler também assumiu a responsabilidade pela derrota do UDC em seu estado natal, Mecklenburg-Vorpommern. O partido ficou em terceiro lugar no estado, com 19% dos votos, atrás do PSD (30%) e do partido de extrema-direita Alternativa para a Alemanha (AfD), que registrou um forte crescimento nestas eleições.

Merkel, no entanto, pediu aos alemães que sigam sua convicção de que o acolhimento de refugiados irá beneficiar a Alemanha em longo prazo. Ela também se comprometeu a reconquistar a confiança dos eleitores em seu partido.

O avanço da AfD reflete um descontentamento com a recente política de acolhimento alemã. Essa aversão é especialmente forte no leste do país, onde o partido obteve o melhor desempenho. Criado há apenas três anos, o AfD vem registrando uma ascensão meteórica, o que vem alarmando o governo Merkel.

“Isso é absurdo. A crise dos refugiados não é a razão para partidos populistas de extrema-direita estarem ganhando terreno. Isso tem mais a ver com o medo que algumas pessoas têm em relação à globalização e à modernidade”, disse o ministro do Interior, Thomas de Maiziere, em entrevista ao jornal alemão Welt am Sonntag.

Fontes:
The New York Times-Merkel Accepts Responsibility for Party’s Losses in Berlin Election

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Roberto1776 disse:

    Bem feito. Imagina abrir as portas de casa para acolher bandidos. Não votaria nem no meu pai, se ele fizesse isso com a nossa família. Isso tem nome: TOTAL E COMPLETA IRRESPONSABILIDADE.

  2. Alberto Sousa disse:

    Roberto 1776
    Nunca ela imaginou, serem milhões a fugir, mais os poucos terroristas que aproveitaram a situação. TOTAL E COMPLETA IRRESPONSABILIDADE, A SUA POR PENSAR ASSIM. A esmagadora maioria, não são os bandidos que diz. São somente de uma civilização diferente, da nossa, com costumes antagónicos aos nossos, Por isso de difícil assimilação da nossa cultura MERKEL seguiu a voz da consciênçia, e as leis internacionais de acolhimento dos refugiados, e nada á a criticar-lhe por isso. E tambem porque queria mão de obra barata na Alemanha e deparou-se-lhe a situação, mas já foi tarde de mais para a reparar.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *