Início » Economia » Poluição custa US$ 1 bilhão por dia à China
POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA

Poluição custa US$ 1 bilhão por dia à China

China já gasta cerca de 3% do PIB com impactos da poluição e país vive dilema de crescer e melhorar a qualidade do ar

Poluição custa US$ 1 bilhão por dia à China
De acordo com a Universidade de Nanquim, a poluição já é a causa de um terço das mortes na China (Foto: Wikimedia)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Visto como um problema que vem afetando cada vez mais o clima da China, o ar poluído tem impactado também os cofres chineses. Especialistas indicam que a poluição atmosférica tem provocado um custo anual ao país em torno de US$ 330 bilhões a US$ 385 bilhões, o que equivale a cerca de US$ 1 bilhão por dia.

O montante corresponde entre 3% e 3,5% do Produto Interno Bruto (PIB) da China, uma das principais economias do mundo e que tem como principal fonte de energia o carvão – o país produz metade do carvão produzido no mundo. De acordo com a Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) e com o Banco Mundial, os principais gastos envolvem licenças médicas, gastos com saúde e perda de produtividade na agricultura, além de danos ao ecossistema.

Dessa forma, o país vive o dilema de como continuar seu crescimento econômico que segue a passos largos sem causar o impacto ambiental provocado pelas partículas tóxicas liberadas pela queima do carvão e que cobrem o céu de parte do país, sobretudo as cidades do norte e a capital Pequim.

O Centro Meteorológico Nacional da China frequentemente tem emitido alertas de poluição e isso tem impactado no dia-a-dia dos chineses. Pela segunda vez em menos de um mês, foram acionados os alertas vermelho e laranja. Dessa forma, mais de 1.500 fábricas foram obrigadas a diminuir ou parar a produção para conter as emissões, além de estradas serem fechadas e obras, voos e aulas serem suspensas nas principais áreas industrializadas do país.

A grande questão no país é que o carvão utilizado é de má qualidade e precisa ser queimado em grandes quantidades. Sendo assim, os níveis de partículas tóxicas no ar chinês são bem elevados. De acordo com um estudo da Universidade de Nanquim, a poluição já é a causa de um terço das mortes na China.

“A China continua dependendo do carvão para quase 75% de toda a geração de energia e, por isso, precisa ter poluição para alimentar o crescimento. Ao mesmo tempo, não se trata de um dilema. As pessoas estão muito mais dispostas a sofrer com a poluição do que com o desemprego e uma economia em queda. Um problema é tolerável, o outro, não”, disse Christopher Balding, professor de economia da Escola de Negócios de Shenzhen, da Universidade de Pequim, em entrevista ao jornal Globo.

Outras fontes de energia

Apesar de hoje o carvão corresponder a 67% de toda a matriz energética do país, a China estabeleceu como meta de seu 13º Plano Quinquenal fazer com que até 2020 a participação do carvão caia para 58% da produção de energia.

Além disso, o país lidera os investimentos em energia solar e eólica do mundo. A China instalou 16,5 gigawatts (GW) e 30,5GW em 12 meses, um recorde de produção. O presidente Xi Jinping considera o tema poluição uma das seis prioridades da economia.

Fontes:
O Globo-Poluição já custa à China US$ 1 bilhão por dia

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *