Início » Internacional » Por que 16 anos é a melhor idade para votar
PARTICIPAÇÃO POLÍTICA

Por que 16 anos é a melhor idade para votar

Os jovens eleitores estão desiludidos com os resultados das eleições. O direito de voto aos 16 anos seria uma forma de incentivá-los a se interessar pela política mais cedo

Por que 16 anos é a melhor idade para votar
O desencanto dos jovens com as urnas é preocupante, porque votar é um hábito e os que não começam cedo podem se abster de votar ao longo da vida (Foto: Flickr)

Que critério adotar quanto à idade limite de ingresso dos jovens na vida adulta? Os países democratas desenvolvidos têm respostas diferentes, dependendo do contexto. Em New Jersey, os jovens podem comprar bebidas alcoólicas aos 21 anos e cigarros aos 19, se alistar no exército aos 17, ter relações sexuais aos 16 e ser julgado em um tribunal como um adulto aos 14 anos. Esse critério varia muito de um lugar para outro. Os jovens belgas, por exemplo, têm permissão de se embriagarem aos 16 anos. Mas os países concordam em um ponto: os jovens só podem votar aos 18 anos. Quando os ativistas sugerem diminuir a idade, os adultos respondem que os jovens de 16 e 17 anos são muito imaturos. Mas os jovens estão cada vez mais desiludidos com a política e desmotivados a votar.

A tendência no mundo ocidental é preocupante. A participação dos eleitores americanos com menos de 25 anos nas eleições presidenciais diminuiu de 50% em 1972 para 38% em 2012. Entre as pessoas com mais de 65 anos a participação aumentou de 64% para 70% (os dados da eleição presidencial de 2016 ainda não estão disponíveis). Nas eleições parlamentares de 2014 a participação de eleitores com menos de 25 anos foi de apenas 17%. Um padrão semelhante tem se repetido no mundo desenvolvido.

O desencanto dos jovens com as urnas é preocupante, porque votar é um hábito e os que não começam cedo podem se abster de votar ao longo da vida. Como resultado, os índices de participação irão diminuir ainda mais nos próximos anos, corroendo aos poucos a legitimidade dos governos em uma espiral insidiosa, na qual o desinteresse dos eleitores irá estimular o ceticismo em relação à democracia e vice-versa.

Em alguns países o voto é obrigatório, o que, em consequência, aumenta os índices de participação. Mas essa obrigação não esconde a desilusão dos eleitores. Os governos precisam encontrar formas de reavivar a paixão que a política exercia no passado, em vez de ignorar sua ausência. Uma boa medida seria diminuir a idade do direito de voto para 16 anos, incentivando, assim, o interesse pela política em pessoas mais jovens.A desilusão dos jovens tem diversas causas. A juventude vê o direito de voto como uma escolha e não como uma obrigação, ou um privilégio. Os que têm uma atuação política ativa tendem a defender questões individuais, em vez dos interesses de um partido. Os políticos atraem cada vez mais eleitores mais velhos, não só pela garantia de votos, mas também porque eles compõem uma parcela crescente do eleitorado. Muitos jovens veem as eleições como uma pressão contra eles. Não é surpresa, portanto, que tantos se abstenham de votar.

A permissão de votar aos 16 anos fortaleceria a presença dos jovens na sociedade e indicaria que as opiniões deles têm importância. São eles, afinal, que sofrerão  as consequências das mudanças climáticas e do custo dos benefícios sociais, como pensões e seguros de saúde de pessoas idosas. O direito de voto aos 16 anos facilitaria a inserção dos novos cidadãos na vida cívica. Ainda mais importante, garantiria a presença dos jovens eleitores na preservação da vitalidade democrática.

Fontes:
The Economist-Why the voting age should be lowered to 16

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

6 Opiniões

  1. Adalgisa Campos da Silva disse:

    Seria bom se os jovens se dispusessem a conhecer e desmontar o “mecanismo” de que falou José Padilha ontem em artigo no Globo.

  2. Carlos Valoir simões disse:

    Voto acima de 18 anos e não-obrigatório. E no futuro só vota quem passou no ENEM.

  3. ceiça alles disse:

    Concordo com todas as opiniões acima. O que tem se visto é que tanto faz em quem se vote: a vida da população não melhora e eles mais governam e/ou legislam em causa própria do que qualquer outra coisa. E acho que ninguém com 16 anos – nem com 18, lá por isso – tem discernimento ou conhecimento suficientes para votar. Só pelos 30 se começa a amadurecer para as causas comuns – ao invés de tratá-las como paixões – e, de fato, a entender como a política funciona. Com exceções, é claro, mas raras.

  4. iOS disse:

    Aqui no Brasil o voto aos 16 é facultativo, mas se não pode dirigir e não pode ser imputado, na minha opinião também não pode votar.

  5. laercio disse:

    A política atual não funciona! Os candidatos em sua maioria não são confiáveis!
    A chamada democracia se mantém de pé porque alimenta a conta bancária de muitos. Não há comprometimento com a democracia no sentido de que ela exerça seu significado etimológico.
    O Brasil está se transformando, a cada ano, em uma espécie de pedaço do inferno onde prevalece a inversão de valores e sua população está exposta a pena de morte sem ter cometido crime.

  6. Troianos disse:

    O problema são os próprios candidatos que, salvo um caso ou outro são sempre os mesmos sendo grande parte deles envolvidos em corrupção, não havendo quase opção e o eleitor em vez de escolher o melhor, fica na dúvida de escolher o menos pior.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *