Início » Internacional » Por que algumas companhias excluem Israel de seus mapas de rotas
'NEGAÇÃO PLAUSÍVEL'

Por que algumas companhias excluem Israel de seus mapas de rotas

Um novo artigo de pesquisadores da Universidade de Minnesota analisou o processo seletivo das companhias aéreas na elaboração de seus mapas

Por que algumas companhias excluem Israel de seus mapas de rotas
Alguns mapas de rotas omitem apenas um país em seu mapa-múndi: Israel (Fonte: Reprodução/Kwuait Airways)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O exame de um mapa de rotas de uma companhia aérea revela uma complexidade não explícita no critério de seleção dos países incluídos. Os mapas dividem o mundo em dois grupos distintos, o de lembranças e o de possibilidades. Mas em alguns mapas existe uma terceira classificação: rota inexistente.

Muitos mapas de rotas das companhias aéreas incluem todos os países do mundo, independente se fazem parte de seus itinerários. Outros mostram só as cidades e países atendidos pela companhia. Mas alguns são ainda mais seletivos e omitem apenas um país em seu mapa-múndi: Israel.

O novo artigo “Discriminatory Product Differentiation: The Case of Israel’s Omission from Airline Route Maps” de Joel Waldfogel e Paul Vaaler, da Universidade de Minnesota, analisou o processo seletivo das companhias aéreas na elaboração de seus mapas.

Os pesquisadores classificaram 111 linhas aéreas internacionais segundo a abordagem a Israel em seus mapas de rotas. Com exceção do Oriente Médio, todas as companhias têm um critério seletivo coerente: ou citam Israel nos mapas que englobam todos os países do mundo, ou sua inclusão depende se seu destino consta dos itinerários da companhia aérea.

Já nas companhias do Oriente Médio o critério é diferente. Muitas retiram Israel dos mapas-múndi, em geral, com uma alteração no mapa do Google. A Qatar Airways, uma das maiores companhias internacionais da região, bem como empresas menores, entre as quais Saudia e Kuwait Airways, não citam o nome de Israel em seus mapas de rotas. Outras fazem uma abordagem distinta. De acordo com o artigo, essas companhias adotam uma atitude de “negação plausível”. Seus mapas incluem uma seleção de países, mesmo os que não fazem parte de sua malha aérea, mas não Israel. Assim, dizem os pesquisadores, elas podem argumentar que não existe uma discriminação no que se refere a Israel, apenas a omissão de seu nome.

Muitas das companhias aéreas do Oriente Médio são estatais e alguns países da região como Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Kuwait e Catar, não reconhecem o Estado de Israel. Embora muitas companhias aéreas na região não aceitem passageiros com passaportes israelenses, nenhuma delas exclui explicitamente os judeus.

Mas Waldfogel e Vaaler elaboraram um índice que associa o número de pesquisas referentes a companhias aéreas de diferentes países, com base nas pesquisas do Google, a uma avaliação do antissemitismo nesses países, estimada pelo índice da organização de defesa dos direitos civis, Anti-Defamation League.

Eles também pesquisaram se as companhias aéreas ofereciam a opção de comida kosher. Waldfogel e Vaaler descobriram uma analogia entre a omissão do nome de Israel dos mapas de rotas, a falta de uma opção de comida kosher para os passageiros e a provável predominância do antissemitismo dos seus clientes.

Apesar do enfoque inovador da pesquisa e da minúcia com que os autores do artigo realizaram seu estudo, seus métodos e conclusões ainda estão sendo revistos por ​​colegas.

Fontes:
The Economist - Why some airlines remove Israel from their online route maps

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

3 Opiniões

  1. olbe disse:

    O que faz com que imbecis desconheçam Israel? O que faz Israel e os judeus para serem tão odiados? Graças a eles todos os campos do conhecimento cresceram, Israel não tem terroristas, nunca explodiu nenhum local da Alemanha apesar de todo o Holocausto sofrido..Israel salva vida de crianças e mulheres que buscam seu socorro mesmo sabendo que são seus inimigos ..Israel está rodeado de vizinhos inimigos que tem um imenso território enquanto Israel é do tamanho de Pernambuco e ganhou estas terras licitamente… mas seus inimigos continuam fazendo de tudo para tirar Israel do mapa… Israel, o único povo que foi arrasado pelos nazistas sem nenhum motivo , só para terem uma “raça pura” e poderem ficar com seus bens.Israel aceita em seus territórios arabes de todas as religiões e dá a eles o direito de ter lugar no seu Parlamento. Enquanto seus vizinhos querem sempre ver sangue e matam com um grande prazer, Israel preserva a vida e luta por ela qualquer que seja a pessoa que esteja sofrendo.. Israel é sempre o primeiro pais a se apresentar para ajudar quando alguma catástrofe acontece em qq parte do mundo.E ele está sempre apontado na ONU como merecedor de reprimendas enquanto os países que matam aos milhões seu próprio povo continua sem uma palavra de reprovação. Ao custo de tantas vidas de inocentes mortas durante o Holocausto (que não tem nada semelhante na história da humanidade) até hoje o cinema e a literatura se valem de histórias que nem o mais criativo dos autores poderia criar.Quem entende esta humanidade?

  2. Markut disse:

    Esse negacionismo é ridículo e inutil.Isso se enquadra na mesma imbecilidade da negação do Holocausto.Tanto Israel como Auschwitz estão lá.
    Faço referência ao filme inglês Negação, atualmente em exibição.

  3. Eder disse:

    Concordo com vc Olbe. Israel é um país odiado pelos países árabes e pela ONU. Mas isso é um cumprimento Bíblico. Deve ser assim. Porque a Palavra de Deus deve ser cumprida. E até o final dos tempos, Israel vai prosperar e crescer abundantemente e seus inimigos vão sofrer ainda mais com sucessivas derrotas nos campos bélicos, sociais e econômicos. Porque Israel é a nação escolhida por Deus, Gn 12.3.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *