Início » Internacional » Por que as escutas telefônicas ilegais beneficiaram Rupert Murdoch?
Um escândalo oportuno

Por que as escutas telefônicas ilegais beneficiaram Rupert Murdoch?

O escândalo obrigou o grupo de mídia de Murdoch News Corp de desistir de um plano ambicionado de comprar a parte de outros investidores do BSkyB, um satélite de transmissão

Por que as escutas telefônicas ilegais beneficiaram Rupert Murdoch?
A crise enfrentada por Murdoch, um empresário dedicado ao jornalismo, obrigou-o a fazer escolhas difíceis que, em circunstâncias normais, nunca faria (Reprodução/Brett Ryder)

Agora, esse assunto parece um pesadelo distante. Depois da descoberta das escutas telefônicas ilegais no News of the World em 2011, Rupert Murdoch em seu depoimento no Parlamento, disse que “este era o dia mais humilhante de sua vida”. Executivos e jornalistas foram presos. O escândalo obrigou o grupo de mídia de Murdoch News Corp de desistir de um plano ambicionado de comprar a parte de outros investidores do BSkyB, um satélite de transmissão (desde então rebatizado Sky). Alguns disseram que o assunto, que incluía a escuta de e-mails de voz de uma garota assassinada, poderia ser atribuído à conduta de Murdoch e de sua empresa.

No entanto, o carma corporativo provou ser mais indulgente do que as faculdades de administração de empresas doutrinam os alunos a acreditarem. Em vez de assistir ao desmoronamento de seu império, Rupert Murdoch e sua família mais que duplicaram sua fortuna desde o anúncio do escândalo. Murdoch, aos 83 anos, continua à frente de seus negócios, e os filhos, Lachlan e James, estão mais preparados do que nunca para sucedê-lo.

A resistência a crises e a capacidade de recuperação do clã dos Murdoch mostra uma realidade nem sempre perceptível nos negócios: às vezes uma perda pode se converter em uma vitória inesperada. A crise enfrentada por Murdoch, um empresário dedicado ao jornalismo, obrigou-o a fazer escolhas difíceis que, em circunstâncias normais, nunca faria. Quando as escutas telefônicas ilegais foram reveladas, ele fechou o tabloide News of the World, que editava desde 1969 e cujas vendas começaram a cair desde a década de 1980. Quando suas ambições de assumir o controle do BSkyB frustraram-se, ele cedeu parte do lucro do News Corp para os investidores em uma operação de recompra de ações, com o objetivo de aumentar o preço das ações disponíveis no mercado.

Ainda mais atento aos interesses dos acionistas, Murdoch concordou em dividir a empresa em duas, com a separação dos ativos lucrativos do setor de cinema e televisão do setor deficitário de jornalismo, um passivo exposto pelo escândalo dos grampos telefônicos. Há anos os investidores insistiam que o grupo corporativo de mídia fosse dividido, mas não tinham poder suficiente para forçar Murdoch a tomar essa decisão devido à estrutura de ações classe A e B, com direito a voto e pagamento de dividendos diferenciados. Com a intenção de agradar ainda mais aos investidores, Murdoch deu mais poder a Chase Carey, um  executivo mais confiável aos olhos dos investidores do que seu chefe.

Fontes:
The Economist-Sailing through a scandal

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *