Início » Economia » Por que há tanto interesse em torno dos novos acordos comerciais?
Comércio mundial

Por que há tanto interesse em torno dos novos acordos comerciais?

Tema da liberalização do comércio mundial está cada vez mais sendo discutido no âmbito dos acordos comerciais regionais

Por que há tanto interesse em torno dos novos acordos comerciais?
O crescimento do volume do comércio global diminuiu nos últimos anos (Fonte: Reprodução/rsccd.edu)

As negociações no comércio mundial teriam uma grande importância econômica e política se fossem bem conduzidas. Os acordos multilaterais significam a regulamentação de normas comuns e a redução de barreiras para todos os países envolvidos, mas a Rodada de Doha promovida pela Organização Mundial do Comércio (OMC) em 2001, aparentemente encerrou suas discussões após a negociação de uma série de reformas sem o menor impacto em Bali, em 2013.

O crescimento do volume do comércio global diminuiu nos últimos anos e o tema da liberalização do comércio mundial está cada vez mais sendo discutido no âmbito dos acordos comerciais regionais (ACRs). O número de ACRs aumentou de cerca de 70 em 1990 para pouco menos de 300 em 2015.

No momento, dois ACRs (com siglas semelhantes) monopolizam as manchetes. O Acordo de Parceria Trans-Pacífico (TPP) é um acordo de livre-comércio entre 11 países da região do Pacífico, entre eles Japão e Cingapura, e os Estados Unidos. Esses 12 países representam 40% do PIB mundial e um terço do comércio mundial. Por sua vez, o Acordo de Parceria Transatlântica de Comércio e Investimento (TTIP) é uma proposta de um acordo comercial ambicioso entre os Estados Unidos e a União Europeia (EU).

Esses novos acordos não só envolvem menos países, como também têm um foco diferente em relação aos acordos comerciais anteriores. O TPP, por exemplo, tem um interesse maior em discutir temas complexos como propriedade intelectual, normas trabalhistas e ambientais, em vez da redução de barreiras tarifárias. Esse fato mostra que as tarifas tradicionais já tinham sido reduzidas após anos da liberalização do comércio mundial.

Além disso, os serviços têm uma importância crescente no PIB mundial; as normas menos rígidas dos tratados comerciais facilitariam o comércio internacional e, em consequência, impulsionariam a economia dos países do mundo inteiro. Os negociadores comerciais americanos preveem que em 2025 as transações comerciais do TPP cheguem a movimentar US$ 220 bilhões por ano, além do acréscimo de 1% ao PIB.

O TTIP tem um objetivo semelhante ao do TPP. Esse acordo incide sobre barreiras reguladoras e barreiras não tarifárias, visto que as tarifas da maioria dos produtos comercializados na região do oceano Atlântico já estão perto de zero.

Os negociadores sonham com um mundo no qual os produtos farmacêuticos teriam o mesmo tipo de testes e que nas regras comerciais, desde o projeto de um carro ao rótulo de produtos químicos, houvesse uma harmonia ou um reconhecimento mútuo. Os benefícios potenciais são difíceis de avaliar, mas é possível que o TTIP aumente o PIB dos Estados Unidos em 0,4% e um pouco mais no percentual do PIB da União Europeia.

Fontes:
The Economist - Global trade: Why everyone is so keen to agree new trade deals

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *