Início » Internacional » Por que tantas pessoas morrem em prisões nos EUA?
ESTADOS UNIDOS

Por que tantas pessoas morrem em prisões nos EUA?

Aumento no número de detentos mortos acompanhou o salto na população carcerária do país, que cresceu 500% nos últimos 40 anos

Por que tantas pessoas morrem em prisões nos EUA?
Nas prisões estaduais, a taxa de mortalidade foi de 275 para cada 100 mil pessoas (Foto: PxHere)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Em 10 de julho de 2015, Sandra Bland, de 28 anos, foi encontrada morta em sua cela, apenas três dias após ser presa. A morte foi considerada um suicídio, mas permanece envolta em mistério sobre como uma prisão equivocada, decorrente de uma pequena violação de trânsito, resultou em morte.

“Ela foi presa e supostamente colocou em risco a vida e a segurança deste oficial. Realmente, o que aconteceu é que ele não gostou que sua autoridade fosse questionada”, disse o advogado Cannon Lambert, que representou a família de Bland, ao Guardian.

Para muitos ativistas, a morte de Bland, sob custódia, demonstra as amplas reformas necessárias no sistema de justiça criminal. As mudanças incluem o combate à discriminação racial pela polícia; luta contra quantias proibitivas de fiança; remediação da falta de cuidados de saúde mental; supervisão adequada e recursos para os presos sob custódia; e a necessidade de reduzir o encarceramento em massa. Os ativistas acreditam que essas circunstâncias levaram a uma epidemia de mortes nas prisões dos Estados Unidos.

O aumento no número de americanos que morreram enquanto encarcerados ocorreram em um cenário no qual a população carcerária dos EUA cresceu 500% nos últimos 40 anos. Com base nos últimos dados nacionais disponíveis no Bureau of Justice Statistics, 4.980 presos dos EUA morreram em 2014, um aumento de quase 3% em relação a 2013. Nas prisões estaduais, a taxa de mortalidade foi de 275 para cada 100.000 pessoas, a mais alta desde a coleta de dados começou em 2001.

Desde 2014, uma investigação do Guardian descobriu que vários estados, incluindo o Texas e a Flórida, com a primeira e terceira maiores populações prisionais nos EUA, respectivamente, relataram taxas de mortalidade recorde em prisões ou aumentos significativos. Atualmente, 2,3 milhões de pessoas estão presas, uma proporção da população que supera substancialmente todas as outras nações do mundo.

Enquanto a maioria das mortes na prisão se deve a causas naturais de uma população prisional idosa, também houve aumentos significativos nas taxas de mortalidade devido a suicídios, homicídios, acidentes, eventos relacionados a drogas e álcool e problemas médicos não tratados.

Em Utah, pelo menos 71 pessoas morreram na cadeia nos últimos cinco anos, com metade dessas mortes como resultado de suicídio. A maioria dos óbitos por suicídio ocorreu dentro de uma semana em que o detento deu entrada na prisão. As cadeias do estado têm a maior taxa de mortalidade per capita nos EUA.

Em agosto de 2018, 16 mortes em prisões do Mississippi em um único mês levaram a uma investigação do FBI. Na Califórnia, uma ordem do Supremo Tribunal dos EUA para reduzir a população carcerária do estado resultou na transferência de prisioneiros para cadeias municipais. Não equipados para lidar com o influxo, essas prisões experimentaram picos de homicídios.

Fontes:
The Guardian- Why are so many people dying in US prisons and jails?

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *