Início » Internacional » Cristina Kirchner anuncia dissolução de agência de inteligência argentina
Caso Nisman

Cristina Kirchner anuncia dissolução de agência de inteligência argentina

Cristina Kirchner, em seu primeiro discurso oficial após a morte de Alberto Nisman, decretou o fim da Secretaria de Inteligência da Argentina

Cristina Kirchner anuncia dissolução de agência de inteligência argentina
Oposição condenou o discurso de Cristina e disse que ela se colocou como vítima da situação (Foto: Reprodução/Internet)

A presidente da Argentina, Cristina Kirchner, anunciou na última segunda-feira, 26, a dissolução da Secretaria de Inteligência (Side) do país e a criação de uma nova agência para o setor. Foi o primeiro pronunciamento oficial da presidente após a morte do promotor Alberto Nisman. Antes, Cristina havia se pronunciado somente através das redes sociais.

Segundos os governistas, setores descontentes do Side estão por trás da denúncia feita por Nisman, que investigava a existência de um pacto do Irã com o governo argentino para encobrir o envolvimento de funcionários da embaixada iraniana em um atentado que, em 1994, matou 85 pessoas em Buenos Aires. Para os governistas, os mesmos setores do Side estão por trás da misteriosa morte do promotor, ocorrida há uma semana.

Durante o discurso, transmitido na TV para todo o país, Cristina explicou que a dissolução visa tornar o órgão mais “transparente”. A posição reforça a versão oficial de que agentes do Side, descontentes com o governo, teriam feito a denúncia do envolvimento da presidente com o atentado contra a Associação Mutual Israelita Argentina (AMIA), um dos piores da história do país.

Cristina voltou a responsabilizar o grupo Clarín pelas denúncias contra a sua gestão. Ela disse que foi o técnico em computação, Diego Lagomarsino, quem emprestou o revólver para Nisman. Segundo Cristina, Lagomarsino é irmão de um executivo do estúdio de advogados sócio do grupo Clarín.

O motivo de Lagomarsino ter emprestado o revólver ainda não está claro. De acordo com um dos seguranças, Rubén Benítez, o promotor o havia pedido que comprasse um revólver, pois ele estava preocupado com a segurança de suas filhas. Porém, no mesmo dia, Lagomarsino foi ao apartamento de Nisman para emprestar a arma. O que tem intrigado os investigadores é que Nisman tinha duas armas de fogo registradas em seu nome. Ou seja, ele não precisava de outra arma. A promotora que investiga o caso, Viviana Fein, afirmou que Lagomarsino pode pegar até seis anos de prisão por “entregar uma arma de fogo” a alguém que não possuía licença para usá-la.

Outros pontos do caso permanecem sem explicação. A polícia ainda não conseguiu identificar as impressões digitais presentes no corredor que leva ao apartamento onde o corpo foi encontrado. Viviana afirmou que o disparo foi realizado a 5 centímetros de distância da cabeça de Nisman, porém a imprensa local afirma que a distância pode ser de até 15 centímetros. Há também contradições nos depoimentos dos seguranças. Alguns afirmam ter tocado a campainha às 14h de domingo, 18, outros afirmam ter tentado contato somente às 17h. Além disso, a equipe de investigação quer saber por que os agentes demoraram 11 horas para entrar em contato com os superiores. Essas versões mostram que o caso ainda está longe de ser solucionado.

Oposição condena discurso

O pronunciamento de Cristina não foi bem recebido pela oposição. O senador Ernesto Sanz, aliado do candidato à Presidência Mauricio Macri, disse que faltou “autocrítica” no discurso. A deputada opositora Patricia Bullrich disse estar decepcionada com a dissolução do órgão. Ela esperava que o governo anunciasse “a colaboração de outros serviços de inteligência, entre eles o brasileiro, nas investigações”. Patricia disse em depoimento que, antes de morrer, Nisman disse que tinha sido traído por um agente da Side. “Ele nos disse que estava ameaçado e que um agente secreto tinha passado informação sobre ele e sua família a acusados do caso”.

Fontes:
O Globo-Cristina dissolve Secretaria de Inteligência argentina

2 Opiniões

  1. Ludwig Von Drake disse:

    A Madame platina arranjou alguém para botar a culpa.É possível que o promotor tenha sido “finalizado” por um araponga, resta saber de que país, já que a região da tríplice fronteira atrai arapongas do mundo inteiro; e muitos tem interesse em ver o circo argentino pegar fogo ao ritmo de “la cumparsita”.

  2. helo disse:

    Enfim Cristina governa para si e para si. Que feio.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *