Início » Internacional » Presidente da Audi é preso
DIESELGATE

Presidente da Audi é preso

Rupert Stadler é suspeito de fraude e falsificação de documentos

Presidente da Audi é preso
Stadler é o principal nome a ser preso no escândalo Dieselgate (Foto: Audi AG/Flickr)

O presidente da Audi, Rupert Stadler, foi preso pelas autoridades alemãs nesta segunda-feira, 18. O CEO da montadora é suspeito de envolvimento no escândalo Dieselgate, fraude revelada em 2015 que consistia em instalar dispositivos para burlar inspeções de controle de emissões de poluente em carros da Volkswagen – grupo no qual a Audi faz parte.

Na última semana, promotores da Alemanha já tinham feito uma busca na residência de Stadler. A prisão ocorreu poucos dias depois dos alemães multarem a Volkswagen em US$ 1,2 bilhão por causa do Dieselgate. No início do mês, as autoridades ordenaram que a Audi fizesse o recall de 60 mil veículos – todos dos modelos A6 e A7. Ao todo, 20 funcionários da Audi estão sendo investigados por envolvimento no caso.

De acordo com a promotoria alemã, a prisão de Stadler, de 55 anos, foi necessária para evitar possível “ocultação de provas”. O presidente da montadora é suspeito de fraude e falsificação de documentos. De acordo com a Audi, “a presunção de inocência continua a ser aplicada”, confirmando a detenção do CEO, mas não dando maiores detalhes a respeito.

Stadler é o principal nome a ser preso no escândalo Dieselgate. Outros diretores e executivos da Volkswagen e montadoras do grupo já foram detidos anteriormente, como o alemão Oliver Schmidt e o engenheiro James Liang.

“Dieselgate”

O escândalo “Dieselgate” ganhou os noticiários em setembro de 2015, quando o presidente do conselho executivo da Volkswagen Martin Winterkorn admitiu que a montadora alemã criou um dispositivo para burlar o controle de poluição em 11 milhões de veículos a diesel vendidos em vários países do mundo. A denúncia foi feita pela Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos (EPA, na sigla em inglês).

A Volkswagen instalou em seus modelos um dispositivo que detecta quando o carro está sendo inspecionado e ajusta o nível de poluentes emitidos pelo motor aos padrões exigidos, o que não ocorre quando os carros estão em situações normais. Logo, os veículos poluíam mais do que os dados divulgados pela montadora.

As fraudes fizeram os números da Volkswagen caírem abruptamente, levando a montadora a registrar um prejuízo de 3,5 bilhões de euros no último trimestre de 2015, o primeiro déficit em 15 anos. Ao todo, a empresa alemã já tem um prejuízo superior a 25 bilhões de euros.

Leia também: Montadoras alemãs são suspeitas de financiar testes em humanos
Leia também: Ex-executivo da Volkswagen é condenado a 7 anos de prisão
Leia também: Volkswagen vai pagar quase US$ 15 bilhões por fraude

Fontes:
DW-Presidente da Audi é preso na Alemanha
CNN-Audi CEO Rupert Stadler arrested in Germany

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *