Início » Internacional » Presidente do Equador diz que Assange tentou criar ‘centro de espionagem’
EMBAIXADA EM LONDRES

Presidente do Equador diz que Assange tentou criar ‘centro de espionagem’

Lenín Moreno disse que a decisão de retirar asilo de Assange 'não é arbitrária'

Presidente do Equador diz que Assange tentou criar ‘centro de espionagem’
Assange estava na Embaixada do Equador em Londres desde 2012 (Fonte: Reprodução/Flickr/Cancillería del Ecuador)

O presidente do Equador, Lenín Moreno, afirmou neste domingo, 14, que o fundador do WikiLeaks, Julian Assange, que foi preso na última quinta-feira, 11, pela polícia britânica, tentou criar um “centro de espionagem” na embaixada do Equador em Londres.

Em entrevista ao jornal britânico The Guardian, Moreno disse ainda que lamenta que o governo equatoriano anterior tenha oferecido a Assange equipamentos que possibilitaram ao fundador do WikiLeaks “interferir nos assuntos de outros Estados”.

Ao justificar a sua decisão de retirar o asilo de Assange, Moreno ressaltou que a medida “não é arbitrária, mas se baseia no direito internacional”.

O presidente equatoriano também denunciou o que chamou de atitude “absolutamente repreensível e escandalosa” de Assange na embaixada em Londres e seu “comportamento inapropriado em matéria de higiene”. O governo do Equador acusou o fundador do WikiLeaks de ter sujado as paredes da Embaixada com suas fezes.

Em entrevista à Sky News, a defesa de Julian Assange negou, também neste domingo, as acusações. Ainda de acordo com a defesa do fundador do WikiLeaks, a prioridade agora é evitar a extradição para os EUA.

O pai de Julian Assange quer que o filho retorne para a Austrália. Em entrevista ao jornal de Melbourne Sunday Herald Sun, John Shipton afirmou que “o Departamento de Relações Exteriores (DFAT) e o primeiro-ministro deveriam fazer algo”.


O premier da Austrália, Scott Morrison, afirmou na semana passada que Assange não receberia um tratamento especial de seu governo. A informação foi divulgada pela Rádio França Internacional (RFI).

Julian Assange estava na Embaixada do Equador em Londres desde 2012 em uma tentativa de evitar sua extradição para a Suécia, onde enfrentava uma denúncia de assédio sexual. A denúncia prescreveu em 2015 e a acusação foi arquivada em 2017. Com a prisão de Assange, foi solicitada a reabertura da investigação.

Fontes:
Uol - Assange tentou criar "centro de espionagem" na embaixada, diz presidente do Equador
G1 - Pai de Assange quer retorno do filho à Austrália

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *