Início » Internacional » Presidente sudanês ignora ordem de prisão e deixa a África do Sul
Tribunal Penal Internacional

Presidente sudanês ignora ordem de prisão e deixa a África do Sul

O presidente partiu enquanto a audiência judicial foi suspensa por uma hora

Presidente sudanês ignora ordem de prisão e deixa a África do Sul
Presidente do Sudão, Omar al-Bashir, é acusado de crimes de guerra (Foto: Wikimedia)

Nesta segunda-feira, 15, o tribunal de Pretória, África do Sul, determinou a prisão do presidente sudanês, Omar al-Bashir, acusado de crimes de guerra. No entanto, a ordem veio pouco depois de ele ter deixado o país, ignorando um mandado de detenção do Tribunal Penal Internacional (TPI).

Bashir partiu da África do Sul enquanto a audiência judicial foi suspensa por uma hora. Ele viajou no avião presidencial de uma base da força aérea em Pretória com destino a Cartum, capital do Sudão. O governo sul-africano afirmou não ter sido informado da viagem.

Após a fuga de Bashir, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, instou os países signatários do TPI a cumprirem o mandado de prisão da corte sediada em Haia. Apesar de a África do Sul ser um dos membros, e por isso, ser obrigada a deter qualquer pessoa acusada pelo tribunal, o partido governista Congresso Nacional Africano (CNA) acusou no último domingo, 14, o TPI de ter preconceito contra africanos e disse que a corte “não é mais útil”.

O diretor de defesa de direitos humanos da Human Rights Watch, Kenneth Roth, afirmou no Twitter que a África do Sul parecia ter “vergonhosamente desrespeitado” o TPI e o tribunal nacional ao libertar um homem “procurado pelo assassinato em massa de africanos”.

Segundo a BBC, a tripulação do o avião de Bashir na base da Força Aérea Waterkloof, em Pretória, tinha obtido a autorização final para decolar. O juiz Hans Fabricuis disse que se Bashir fosse autorizado a deixar o país, a reputação da África do Sul seria prejudicada. Mas em nenhum momento a delegação sudanesa pareceu estar preocupada. O TPI, por sua vez, instou as autoridades sul-africanas a deterem Bashir.

De acordo com a ONU, cerca de 300 mil pessoas no Sudão morreram e mais de duas milhões fugiram de suas casas desde que os combates começaram, em 2003. As forças governamentais e as milícias árabes aliadas são acusadas de atacarem civis negros africanos na luta contra os rebeldes.

 

 

Fontes:
O Globo-Bashir ignora ordem de prisão do TPI e deixa a África do Sul

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *