Início » Internacional » Primeiro-ministro da Islândia renuncia após ‘Panama Papers’
'PANAMA PAPERS'

Primeiro-ministro da Islândia renuncia após ‘Panama Papers’

A renúncia foi anunciada nesta terça, 5, pelo vice-primeiro-ministro Sigurdur Ingi Johannsson

Primeiro-ministro da Islândia renuncia após ‘Panama Papers’
Documentos vazados revelaram que premier escondeu patrimônio em empresa offshore (Foto: Wikimedia)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O primeiro-ministro da Islândia, Sigmundur David Gunnlaugsson, renunciou nesta terça-feira, 5, depois do vazamento de documentos do escritório de advocacia do Panamá, Mossak Fonseca, sobre empresas de fachada offshore e paraísos fiscais.

Leia mais: Mais de 72 chefes de Estado ocultaram dinheiro em paraísos fiscais

A renúncia do premier islandês foi a primeira consequência política proeminente do vazamento dos documentos, que projetou de forma negativa atividades financeiras particulares de pessoas poderosas ao redor do mundo.

O vice-primeiro-ministro do Partido Progressista da Islândia, Sigurdur Ingi Johannsson, anunciou a renúncia de Gunnlaugsson na televisão.  A emissora estatal RUV confirmou o anúncio.

Gunnlaugsson havia insistido em permanecer no cargo depois que o vazamento dos documentos revelou que ele e sua esposa, na época sua sócia, fundaram uma empresa em 2007 nas Ilhas Virgens Britânicas através do escritório de advocacia Mossak Fonseca. Os documentos também sugeriam que ele vendeu a empresa para sua esposa por US$1, no último dia de 2009, pouco antes da implementação de uma lei que teria exigido que ele, como membro do Parlamento, declarasse seus bens.

O primeiro-ministro havia dito, antes da renúncia, que os documentos vazados não continham “novidades”, adicionando que ele e sua esposa, Anna Sigurlaug Palsdottir, não esconderam seus bens para evitar pagar impostos. Mas a empresa Wintris Ins. perdeu milhões de dólares como resultado da crise de 2008, que afetou a Islândia, e a empresa está reivindicando cerca de US$ 4,2 milhões (R$ 15.39 milhões) de três bancos islandeses falidos.

Primeiro ministro desde 2013, Gunnlaugsson estava envolvido nas negociações de acordos com os bancos, então, agora, está sendo acusado de conflito de interesses.

Fontes:
The New York Times-Panama Papers Scandal Brings Down Iceland’s Prime Minister

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Ludwig Von Drake disse:

    Isso na Islândia, na Terra de Vera Cruz corruptos e incompetentes vão para a TV proclamar que não renunciam. Nem que a vaca tussa.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *