Início » Internacional » Produção global de cocaína atinge números alarmantes
RELATÓRIO

Produção global de cocaína atinge números alarmantes

Relatório da ONU aponta um aumento recorde de 25% na produção mundial de cocaína em 2017

Produção global de cocaína atinge números alarmantes
Em 2017, a produção de cocaína na Colômbia aumentou 31%, totalizando 70% da produção global (Foto: Marco Vech/Flickr)

Segundo o relatório World Drug Report, do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC), a produção mundial de cocaína aumentou 25% em 2017. Funcionários de agências antidrogas apreenderam 1.275 toneladas do total de 1.976 toneladas de cocaína 100% pura. De acordo com dados do relatório, o consumo global da droga atinge 18,1 milhões de usuários.

Ainda segundo estimativas do relatório, 35 milhões de pessoas têm sintomas de transtornos mentais devido ao uso de drogas e apenas uma em cada sete procura ou recebe tratamentos de desintoxicação.

“As conclusões alarmantes do World Drug Report exigem um esforço maior da cooperação internacional entre os órgãos responsáveis pela execução e controle de políticas de prevenção e combate às drogas”, disse o diretor executivo do UNODC, Yury Fedotov.

Em 2017, a produção de cocaína na Colômbia aumentou 31%, totalizando 70% da produção global. A produção da droga no Peru e na Bolívia completou os 30% restantes do cultivo e distribuição da droga.

O papel da Colômbia na oferta global de cocaína aumentou durante os 52 anos do movimento guerrilheiro marxista-leninista Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), que devastou o país. No entanto, a produção continuou a crescer após o acordo de paz assinado pelo ex-presidente colombiano, Juan Manuel Santos, e Timochenko, líder das Farc, em setembro de 2016.

O acordo incluiu medidas de incentivo à troca do cultivo de coca por outras culturas em comunidades agrícolas controladas pelas Farc, mas as divergências políticas e a intervenção de grupos paramilitares que estão ocupando o espaço antes dominado pelas Farc têm dificultado a ação do governo.

Logo depois de assumir a presidência da Colômbia em agosto de 2018, Iván Duque fez a promessa ambiciosa de reduzir a região de cultivo de coca para 140 mil hectares até o final de seu mandato.

O número de usuários de cocaína nos Estados Unidos aumentou 40% entre 2014 e 2017, com uma taxa de 160% de casos fatais em razão do consumo da droga. Preocupado, o governo americano uniu-se à Colômbia em seu esforço para diminuir a produção de cocaína no país.

Na última semana de junho, o Escritório de Política Nacional de Controle de Drogas (ONDCP) da Casa Branca anunciou que o governo colombiano reduzira a área de cultivo de coca para 208 mil hectares em 2018, o equivalente a menos mil hectares do que no ano anterior.

No início deste mês, em entrevista à emissora de televisão CNBC, o presidente Duque disse que já havia eliminado o cultivo de coca em 60 mil hectares e que a meta de redução de 140 mil hectares seria cumprida. 

“O presidente Duque está fazendo um trabalho sério e competente para reduzir a produção de cocaína na Colômbia. A colaboração entre os EUA e o governo colombiano tem atingido todos os objetivos propostos”, disse o diretor do ONDCP, Jim Carroll.

Fontes:
Independent-Global cocaine production reaches all-time high after soaring 25% in one year, UN study concludes

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *