Início » Internacional » Proibição da Rússia a voos da Geórgia entra em vigor
TENSÃO INTERNACIONAL

Proibição da Rússia a voos da Geórgia entra em vigor

Decreto assinado por Putin suspende os voos entre os países. Objetivo é pressionar o setor de Turismo da Geórgia, que corresponde a 7,6% do PIB do país

Proibição da Rússia a voos da Geórgia entra em vigor
Em 2018, 1,4 milhão de russos visitaram a Geórgia (Foto: Kremlin.ru)

Entrou em vigor, nesta segunda-feira, 8, a suspensão de voos entre Geórgia e Rússia. A restrição foi anunciada por Moscou no último dia 21 de junho, e impõe uma séria dificuldade econômica aos georgianos. 

A suspensão foi anunciada pelo presidente da Rússia, Vladimir Putin, e atinge todas as companhias aéreas russas e georgianas. A decisão foi tomada depois que grandes protestos contra um parlamentar russo tomaram as ruas da Geórgia. Na época, Sergei Gavrilov visitava o Parlamento georgiano, localizado na cidade de Tbilisi, a capital do país.

Os países cortaram as relações diplomáticas em 2008, e os georgianos não concordaram com a presença de Gavrilov na Casa Legislativa do país. Aproximadamente 10 mil pessoas participaram dos protestos, que culminaram na suspensão dos voos.

No entanto, a restrição impõe um sério desafio econômico para a Geórgia, que tem no setor de Turismo uma das principais fontes de renda do país. Isso porque a Geórgia está no meio da alta temporada turística.

O setor de Turismo correspondeu a cerca de 7,6% do Produto Interno Bruto (PIB) da Geórgia em 2018, com aproximadamente 1,4 milhão de russos visitando o país no período. Ao todo, 7,2 milhões de turistas visitaram a Geórgia em 2018, empregando mais de 500 mil pessoas no período.

“Na Rússia, é uma idéia predominante que os turistas russos são uma fonte muito importante de renda para a economia da Geórgia. […] Moscou pode estar esperando que uma certa parte da sociedade georgiana vá contra os manifestantes [anti-Kremlin], culpando-os pela perda de uma fonte de renda. Talvez eles estejam atrás de estimular o cultivo de sentimentos pró-Rússia”, destacou a analista política Ghia Nodia em entrevista à rede Al Jazeera.

Acredita-se que a medida anunciada por Moscou vai impactar pelo menos US$ 141 milhões no Turismo da Geórgia, com cerca de 25% dos russos sendo atingidos. Isso porque os turistas da Rússia ainda podem optar por viajar por terra ou através de escalas aéreas, conforme destacou a ministra da Economia da Geórgia, Natia Turnava.

“Vimos que [alguns] turistas russos ainda estão interessados ​​em visitar nosso país. Somos um país pacífico, um mercado turístico aberto. Recebemos turistas de todos os condados, incluindo turistas russos, que apesar das complicações recentes consideram visitar a Geórgia novamente. […] Haverá dificuldades, mas espero que este problema seja resolvido”, explicou a ministra.

Campanha pelo Turismo

Apesar do olhar positivo da ministra, a confiança não é compartilhada por todos os georgianos. Por isso, aproveitando a restrição russa, muitos preferiram aderir a campanha “#SpendSummerInGeorgia” (Passe o Verão na Geórgia, em tradução livre). A ideia é estimular o turismo de outros países, preterindo a Rússia.

“Isso vai afetar muito a indústria do turismo georgiano e acho que este é um momento perfeito para que os hotéis, operadores turísticos e restaurantes da Geórgia olhem para o oeste, leste, sul e qualquer outra direção”, apontou a especialista em comunicações Mirian Jugheli, que participa da campanha.

Embaixadas e autoridades de diferentes países, como Lituânia e Estados Unidos, também aderiram à campanha. Em entrevista à rede Al Jazeera, o diretor-geral e fundador da agência de viagens Travel in European Union, Irakli Sakhamberidze, destacou que esse pode ser um bom momento para estabelecer uma ligação aérea direta dos Estados Unidos, e acelerar a entrada de companhias aéreas, como a irlandesa Ryanair, no país. 

Segundo Sakhamberidze, caso esses problemas sejam solucionados, seria possível substituir os 1,4 milhões de turistas russos com “muita facilidade”. “Um exército de turistas aguarda voos diretos dos EUA”, afirmou.

Entenda o caso

Rússia e Geórgia romperam relações diplomáticas em 2008, devido a dois territórios georgianos. Os russos concordaram com os movimentos separatistas das regiões de Ossétia do Sul e de Abecásia, enquanto os georgianos defendem a manutenção dos territórios no país. A comunidade internacional atribui os territórios à Geórgia.

A tensão devido à situação levou ao rompimento das relações diplomáticas entre os países, o que se mantêm até os dias atuais. Em 2018, os governos até ensaiaram uma reaproximação, o que não se concretizou. Por isso, Rússia e Geórgia apenas mantêm negociações comerciais bilaterais.

A mais recente tensão diplomática entre os países ocorreu em junho, quando o parlamentar russo Sergei Gavrilov visitou o Parlamento da Geórgia para uma conferência da Igreja Ortodoxa. O fato não foi bem recebido pelos georgianos devido ao posicionamento de Gavrilov, que é alinhado a Moscou em referências aos territórios separatistas da Geórgia.

A presidente da Geórgia, Salome Zurabishvili, classificou a Rússia como “inimiga ocupadora”. A visita de Gavrilov levou cerca de 10 mil georgianos às ruas para protestar contra Moscou. Em contrapartida, Putin assinou o decreto contra as viagens das companhias aéreas.

Fontes:
Al Jazeera-Georgians defiant as Russia's ban on flights comes into effect

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *