Início » Internacional » Protestos em Baltimore continuam a desafiar toque de recolher
Tensão racial

Protestos em Baltimore continuam a desafiar toque de recolher

Em Manhattan, Washington e Boston, manifestações semelhantes também resultaram em prisões, 100 delas somente em Nova York

Protestos em Baltimore continuam a desafiar toque de recolher
O jovem negro, Freddie Gray, morreu aos 25 anos após sofrer uma lesão na coluna enquanto estava sob custódia policial (Reprodução/Pixabay)

Na terceira noite de protestos em Baltimore, manifestações contra a discriminação racial pela polícia americana desafiaram novamente o toque de recolher imposto. Apesar desta vez, os protestos terem um caráter mais pacífico, ainda houve fortes tensões com pessoas detidas. Em Manhattan, Washington e Boston, manifestações semelhantes também resultaram em prisões, cem delas somente em Nova York.

Leia mais: Prefeita ‘deu espaço’ para vandalismo em Baltimore, nos EUA
Leia mais: Baltimore sob toque de recolher após dia de violência

Em Baltimore, brancos e negros se juntaram para criticar o sistema policial americano, além do preconceito enraizado na cultura. Após as 22h, hora em que entra em vigor o toque de recolher, a polícia usou gases de pimenta e de efeito moral para dispersar as manifestações. A Guarda Nacional e policiais de estados vizinhos também foram acionados para ajudar a conter os ânimos. O toque de recolher só será retirado na semana que vem.

Em Manhattan, nova-iorquinos se reuniram na Union Square. Apesar de o protesto começar pacificamente, alguns manifestantes mais exaltados acabaram detidos após insultar policiais. Segundo o Departamento Policial de Nova York, mais de cem foram detidos. Já em Washington, a uma hora de distância de Baltimore, um protesto com cerca de mil pessoas chegou ao redor da Casa Branca e pediu “o fim do terror policial”.

Em Baltimore, a expectativa cresce pela decisão de indiciar ou não os seis policiais suspensos após a morte de Freddie Gray. O jovem negro morreu aos 25 anos após sofrer uma lesão na coluna enquanto estava sob custódia policial. A prefeita, Stephanie Rawlings-Blake, e o comissário da polícia, Anthony Batts, esclareceram que ainda não há qualquer garantia de que haverá decisão sobre o indiciamento dentro dos próximos dias. As manifestações na cidade são analisadas como as piores desde 1968, ápice dos protestos contraculturais que lutaram por direitos civis, sociais e da juventude.

 

Fontes:
O Globo-Protesto contra morte de homem negro em Baltimore tem mais de cem detidos em Nova York

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *