Início » Internacional » Putin testa o novo presidente da Ucrânia
AFRONTA À SOBERANIA

Putin testa o novo presidente da Ucrânia

Imbróglio envolvendo concessão de passaporte russo como provocação mostra que Putin decidiu não esperar Volodymyr Zelenskiy se acomodar no poder para testá-lo

Putin testa o novo presidente da Ucrânia
Anúncio de Putin é um teste para Zelenskiy, um estreante na política eleito há uma semana (Foto: Montagem/Kremlin.ru/Facebook)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O presidente russo Vladimir Putin decidiu não esperar seu homólogo recém-eleito na Ucrânia, o ex-comediante Volodymyr Zelenskiy, se acomodar no Palácio de Mariyinsky – sede do Executivo ucraniano – para testá-lo.

Três dias após ser eleito presidente, Zelenskiy foi alvo de uma provocação por parte de Putin. O presidente russo anunciou que vai conceder passaporte russo aos habitantes de Donetsk e Lugansk, duas autoproclamadas repúblicas populares pró-Rússia, que ficam localizadas na região de Donbass, leste da Ucrânia.

A região de Donbass está em guerra com a Rússia desde 2014 – ano em que Putin anexou a Crimeia, localizada no sul do país. Aproximadamente 14 mil pessoas já morreram desde o início do conflito na região.

Tanto Donetsk quanto Lugansk já se encontram ocupadas pela Rússia e a concessão dos passaportes foi vista como uma forma do governo russo sugerir que, embora reconheça oficialmente que os territórios pertencem à Ucrânia, considera seus cidadãos russos.

No último sábado, 27, Putin foi além e decidiu estender a concessão do passaporte russo a todos os cidadãos ucranianos – numa ação considerada uma provocação direta ao país vizinho e um teste a Zelenskiy, que toma posse em julho.

No mesmo dia, Zelenskiy enviou sua resposta. Em tom sarcástico, o presidente eleito ucraniano anunciou que pretende conceder cidadania ucraniana a “pessoas de todas as nações que sofrem sob regimes autoritários”. “Sobretudo os russos, que são de todos os que mais sofrem”, afirmou Zelenskiy, em sua conta oficial no Facebook.

No anúncio, Zelenskiy destacou que os ucranianos “têm liberdade de expressão” e “vivem em um país onde a imprensa e a internet são livres” – algo que pode ser interpretado como uma sutil referência à proposta do governo russo de isolar a internet do país do restante da rede mundial.

No último domingo, 28, Zelenskiy divulgou um comunicado, com uma nova provocação. “Os ucranianos sabem muito bem os direitos que confere a cidadania russa: o direito a ser preso em manifestações pacíficas; o direito a participar em eleições manipuladas; o direito de renunciar às suas liberdades fundamentais”, disse o presidente-eleito.

A decisão de Putin de conferir passaporte russo a habitantes de províncias separatistas da Ucrânia foi condenada pela União Europeia (UE). Na última quinta-feira, 25, um dia após o anúncio de Putin, o bloco divulgou uma nota na qual acusa Moscou de atacar a soberania da Ucrânia e de tentar desestabilizar a transição presidencial no país.

Putin respondeu ao comunicado da UE na última sexta-feira, 26, em uma coletiva a jornalistas após seu encontro com o líder norte-coreano, Kim Jong-un. O presidente russo destacou que Polônia, Romênia e Hungria garantem cidadania a seus parentes étnicos fora de suas fronteiras e que não vê motivos para a Rússia não fazer o mesmo.

“Causou uma reação negativa [a concessão do passaporte russo]. Isso é estranho. Como os russos são piores do que os romenos, poloneses ou húngaros? Não vejo nada de anormal nisso”, disse o presidente russo.

Leia mais: Comediante é eleito novo presidente da Ucrânia

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *